|
  • Bitcoin 142.278
  • Dólar 4,8106
  • Euro 5,1491
Londrina

Luiz Geraldo Mazza

m de leitura Atualizado em 22/02/2022, 20:07

O peso das sanções

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

Luiz Geraldo Mazza
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

A Rússia se declara acostumada a bloqueios, mas os EUA e União Europeia pretendem esquentar a cuca de Putin, conforme se apurou até agora na assembleia da ONU à medida em que aumentam os movimentos militares. Putin tentou minimizar a importância da Ucrânia historicamente e levantou ainda mais proclamações nacionalistas, essenciais nas disputas territoriais. O lance pesado foi o reconhecimento da independência dos separatistas agregado ao envio de tropas de apoio.    

Drones

Em apenas quatro anos houve a triplicação no número de drones no Paraná, fortíssimo o emprego principalmente na agricultura. 

Front 00

De domingo a segunda no Brasil tivemos 333 óbitos e 43.001 infecções, Curitiba com 3 mortes e 1.085 casos, Paraná com 4.306 infecções e 26 mortes. Uma surpresa na constatação de que a vacinação de militares fica abaixo do índice geral de adultos. Até janeiro (22) havia 143.512 com duas doses no Exército e 59.150 da Aeronáutica. Ordem do STF, a ministra Damares proíbe denúncias de antivacinas no Disque 100. Curtos circuitos entre a justiça eleitoral e o Executivo persistem e Bolsonaro não vai à posse de Fachin na presidência do TSE. Como se vê, os fronts se acumulam. 

Momo privado 

Apesar do rigor em Recife, Cuiabá e Brasília, onde eventos carnavalescos privados foram vetados, eles se darão normalmente no Rio, Salvador, São Paulo e Belô em festas fechadas com ingressos de até R$ 700. Vai dar um pega de gato e rato com a fiscalização em meio a pendências judiciais. Em Curitiba a prefeitura avalizou eventos particulares desde que não ultrapassem 70% da capacidade prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros, exigindo-se o uso de máscaras, não havendo necessidade do comprovante de vacinação. Em Florianópolis eventos para mais de 500 pessoas cobrarão comprovante de vacina. Em Goiânia decreto proíbe festejos carnavalescos em ruas ou locais fechados. Vamos ter certamente a resposta a esse tipo de ousadia com a alta de contaminações e pressão sobre os serviços básicos de saúde. Em São Paulo, em busca pela internet é possível encontrar flyers anunciando festas que vão do funk ao sertanejo e não desprezando a música eletrônica. Alguns blocos e escolas de samba tentarão fazer a festa em recinto fechado. Para eventos privados exige-se o cumprimento da regra municipal que exige a comprovação da segunda dose da vacina ou resultado negativo RT-PCR feito 48 horas antes.  Em Aracaju eventos particulares terão limite de mil pessoas em espaços abertos e de 300 em ambientes fechados. 

Caríssimo e burocrático, cheio de proibições, o que exclui o ambiente solto e de liberdade apropriado ao carnaval. 

O prefeito cassado 

Acusado de promover o "fura-fila" da vacina, o prefeito Nassib Hammad, de Fazenda Rio Grande, foi cassado pela Câmara Municipal, que empossou o novo prefeito, o vice da chapa, Marco Marcondes.   

Sinais 

No início de 2022 o consumo de energia elétrica cresceu 12,8%. Percebeu-se a primeira queda em quatro anos na venda de eletroeletrônicos. Houve 12,8% de crescimento na venda de imóveis novos no país. A Bolsa sobe discretamente e o dólar em queda livre fecha cotado a R$ 5,105, o menor valor em meses. Pesquisa do Banco Central mostra a inflação neste ano chegando a 5.56%, bem acima, como se esperava, do teto da meta.  

Empate 

Difícil acomodar os interesses em choque de Lula, Rodrigo Garcia e Fernando Haddad, os dois últimos candidatos ao governo paulista. No meio dessa transa também a espera de um recuo para assegurar a aliança e também, lá na frente, a federação PT-PSB. O diretório estadual do PC do B aprovou Haddad para o governo, o que aborreceu, como é natural, o ex-governador Marcio França.  

Folclore

O governo Bolsonaro acumula revezes no Senado desde a saída de Fernando Bezerra do posto, especialmente em matérias do interesse do ministro da Economia, Paulo Guedes. Além disso, a ausência de um líder facilita a convocação de ministros com relativa facilidade.