|
  • Bitcoin 150.133
  • Dólar 4,9314
  • Euro 5,2165
Londrina

Luiz Geraldo Mazza

m de leitura Atualizado em 14/04/2022, 18:54

Crônica insatisfação

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 15 de abril de 2022

Luiz Geraldo Mazza
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Pelo jeito a cultura de irritar-se com o pedágio persistirá. É pelo menos o que se nota na reação da Frente Parlamentar, que apresentou estudo técnico apontando falhas no novo modelo e que redundarão em tarifas exageradamente caras. O estudo foi encaminhado aos governos do Estado e da União e também ao TCU. Houve o ganho da supressão da taxa de outorga, mas o governo trucou com um aporte que extingue o desconto que as empresas podem dar na licitação pelo menor preço. Pelo jeito o chio persiste e a tarifa continua asfixiante. Com Requião na campanha pode voltar o chatíssimo refrão do baixa ou acaba.

Páscoa 

Os belíssimos rituais de Páscoa de poloneses e ucranianos, depois de dois anos, voltarão presenciais. Ortodoxos celebram mais tarde, a dos ucranianos com as pessankas, a arte primorosa da pintura nos ovos, e também das krachankas, a benção dos alimentos. É uma das expressões multiculturais dentre tantas para exploração turística. Por sinal que o nosso turismo cresceu 15,9% no primeiro bimestre paranaense, segundo o IBGE. Um dos aspectos a explorar está aí: o religioso. 

Estradas

Tanto a Polícia Rodoviária Federal como a estadual se mobilizaram desde ontem para orientação do tráfego na Semana Santa. Espera-se menos sinistros em nossas rodovias. 

5% é pouco 

Bolsonaro está preocupado com as numerosas greves no serviço público e tenta evitá-las com um reajuste linear de 5% que os servidores acham pouco e implica em gastos de R$ 6 bilhões originários em parte de corte em outros setores. O problema persiste. E as benesses, até aqui concedidas como as das polícias federais, vão minando o equilíbrio de gastos.

Pandemia 

Em Curitiba oito dias em abril sem óbitos pela Covid e esse cenário se repete na maior parte do país: só seis estados e DF têm mais de 30% de suas UTIs ocupadas. Entre terça e quarta 158 óbitos e 28.785 diagnósticos em 24 horas. 

Riscos 

Biomas estratégicos do país vivem sob ameaça e isso não se dá apenas em relação à Amazônia, ao pantanal e o cerrado, mas em paraísos como Abrolhos, resultante de decisão judicial que desconsidera a zona de amortecimento e o de Fernando de Noronha com uma discussão agora se integra ou não o território pernambucano, isso sem falar nas pretensões de exploração petrolífera. Apesar da persistência de ambientalistas em aberto jogo contra o governo descompromissado com a questão, a compulsão antiambiental é manifestada e está em momento bom a pauta em torno do tema no STF, o que tanto irrita o presidente. 

Melhoria 

Nem tudo vai mal e o varejo paranaense cresce 2,2% em fevereiro, o dobro do número nacional. Setores que puxaram os números foram tecidos, vestuários e calçados (16,8%), artigos farmacêuticos (9,3%), livros, jornais e revistas (5,8%). Setor está 1,2% do patamar pré-pandemia, mas 4,9% abaixo do pico da série histórica do IBGE, de outubro dos anos de 2020.

Alerta 

O feriadão pode não ser bom na praia. É que a Marinha está alertando a região sobre ventos fortes e ressaca. 

Situação de rua 

Em São Paulo calcula-se uma população em situação de rua em 20 mil, mas a impressão, captada pelo Datafolha, é a de que 8 em cada 10 pessoas enxergam aumento do problema nos grandes centros. Para 85% dos paulistanos essa faixa de população aumentou e esse foi também o juízo de 77% no Rio. Em Curitiba avalia-se em 5 mil os em situação de rua.

Folclore 

Os seguidores de Ratinho Junior procuraram aparentar despreocupação com a ameaça de Alvaro Dias  de  botar em cena um candidato a governador pelo Podemos que poderia ser escolhido entre os senadores.