Caça aos reservatórios


Não é a primeira vez que a Sanepar busca drenar os reservatórios de água particulares na cidade em função da estiagem. Já passamos por essa e chegou a provocar espanto a existência de tanto potencial hídrico entre particulares e dentre eles o acúmulo de líquido nas pedreiras e tantas outras formas de reservatórios. E isso se dá no momento em que mais acumulamos represas que se seguiram à exploração dos mananciais da Serra, cabeceira do Iguaçu. 


Precisamos, é verdade, analisar melhor o desempenho e as condições técnicas da Sanepar ante os problemas decorrentes do racionamento imposto à população. E temos que fazê-lo agora e não depois com o retorno das chuvas e à normalidade, identificando as falhas estruturais do sistema e eventuais erros de gestão. O atraso nas obras do Miringuava é uma delas.    




Os arrependidos 

Não são poucos os arrependidos com Bolsonaro e agora pintou mais um: Paulo Marinho, suplente do senador Flavio, que revelou vazamentos da PF e investigações contra Fabrício Queiroz e que levaram à demissão dele e da filha no gabinete do então deputado estadual e determinaram a paralisia da Operação Furna da Onça para não contaminar o segundo turno da eleição presidencial. As denúncias aparentemente favorecem Moro, embora a postura da PGR em nada facilite esse fluxo de novidades. Ao mesmo tempo o decano do STF, Celso de Mello, avaliava o conteúdo da fita da reunião ministerial para decidir se a mantém íntegra ou na versão fatiada desejada pelo governo. 


Enquanto se discutia o sexo dos anjos chegávamos a 240 mil infectados e 16 mil mortos. 


O cerco 

Mais uma carreata pró Bolsonaro no domingo, dessa vez com a cautela mínima da retirada das placas com agressões ao parlamento e ao STF e pedidos de intervenção militar. O realejo toca a mesma melodia: a nostalgia fascista não é desprezível e seu tom intimidatório é seu respirar. A militância está mobilizada o tempo todo, notadamente quando a situação presidencial aparenta estar sob pressão, como agora. 


Além de razoável 

O Paraná foi citado pelo ex-ministro Mandetta como um exemplo de ações articuladas contra a pandemia. E nesse contexto há avanços como a descentralização de testes laboratoriais com apoio nas universidades estaduais como se dá em Londrina, que fará 12 mil testes da Covid-19 com pessoas internadas ou naquelas que tiveram sintomas e indicação médica. A cidade tem 134 casos confirmados, 16 óbitos. Dos confirmados 98 estão curados, 13 em isolamento, 5 na enfermaria e dois na UTI. Apesar de toda essa mobilização em nível municipal, o Paraná segue na condição de número um em transplantes. 




Folclore 

Ressentimento é arma de primeira em política: Roberto Jefferson, no que parecia uma briga de egos com José Dirceu, acabou gerando o mensalão, primeiro golpe no lulopetismo e agora virou líder bolsonarisa. Apareceu em cena o Paulo Marinho, rompido com o governo e da ala de Bebiano, mostrando o vazamento na PF que beneficiou a família Bolsonaro. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo