O Gaeco cumpriu ontem 20 mandados em operações na Grande Curitiba e litoral contra tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. O varejo é a ação da PRF nas estradas, como a que aprendeu uma tonelada de maconha no interior de 12 pneus de uma carreta. A de mais proveito, pela frequência e êxito, é a da Receita Federal, que apreendeu carga apreciável de cocaína destinada à Arábia Saudita em sua fiscalização nos portos.

Teste

O teste do impacto das Americanas no mercado, ao contrário do que se supunha, mostrou-se irrelevante quanto à sua resistência estrutural.

Dengue

Preocupante, para dizer o mínimo, a evolução dos casos de dengue, que em duas semanas subiram de 35 mil para 45 mil e registro de 8 óbitos.

Vandalismo

Ministros do STF deram o prazo de mais um mês para que sejam concluídas as perícias da PF em torno do material fotográfico colhido nos atos de vandalismo de 8/1.

800 réus

Com o voto do ministro Alexandre de Moraes (que mandou o Telegram alinhar-se e desmentir conceitos sobre fake news) já chega a 800 o contingente de réus do 8/1.

Contestação

O governador reagiu à afirmação do ministro Gilmar Mendes de um suposto fascismo de Curitiba em função da Lava Jato, e deputados estaduais também replicaram. Gilmar recuou, desculpando-se.

Indústria

Depois de dois sucessivos recuos, a indústria voltou a crescer 1,1% com evidente destaque para a do Paraná.

Ônibus elétricos

A frota de transporte de Curitiba vai agregar em 2024 70 ônibus elétricos. Segundo a Urbs, essa diversificação dará mais desempenho ao sistema.

Tarcísio

Segundo a mais recente pesquisa da Genial/Quaeste Tarcisio de Freitas, pelo menos para 48% dos entrevistados, deverá ser o adversário de Lula.

Pessoal

Uma das travas do arcabouço fiscal será o disparo do gatilho para conter aumento dos servidores públicos. Essa sempre é uma disposição institucional e bloqueio a novas renúncias fiscais é outra disposição.

Anatel

A Anatel defende que cabe a ela regular as big techs, desde que conte com estrutura para encarar o processo das fake news. A agência de telecomunicações tem feito lobby no Congresso para convencer deputados e senadores.

Reação

Imediata a reação do governo e Congresso contra a ofensiva, mais uma vez, do Telegram, que olha o mínimo de controle das fake news como censura.

A opinião do colunista não reflete, necessariamente, a da FOLHA