Tratamento precoce em pauta na Câmara


Tratamento precoce em pauta

A Câmara Municipal de Londrina aprovou na terça-feira (20) um pedido de indicação à prefeitura de Londrina para que tome providências urgentes a fim de implementar o chamado "tratamento precoce" contra a Covid-19 no município. A indicação foi feita pela vereadora Jessica Ramos, a Jessicão (PP), que é do mesmo partido de Marcelo Belinati (PP) e contrário ao protocolo. Pela proposta da vereadora, caberá aos médicos a prescrição de medicamentos como a ivermectina e hidroxicloroquina, com análise caso a caso e consentimento do paciente. A vereadora citou exemplos de cidades como Porto Feliz, no interior de São Paulo, Búzios, no Rio de Janeiro, e Chapecó, em Santa Catarina, que teriam reduzido os índices de internação com a medida, mesmo os dois medicamentos não tendo comprovação científica com eficácia contra a Covid-19. 


Funrebom

Por unanimidade, foi aprovado o projeto de lei (PL) nº 32/2021, que altera o Plano Plurianual 2018-2021, a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2021 e a Lei Orçamentária Anual de 2021 para permitir o repasse de até R$ 1.351.000,00 para o Funrebom, fundo utilizado para compra e manutenção de veículos, equipamentos e outros bens para o Corpo de Bombeiros em Londrina. De acordo com o Executivo Municipal, autor da proposta, há escassez de recursos financeiros para o desenvolvimento dos trabalhos da corporação, provocada pela discussão no Supremo Tribunal Federal (STF) acerca da legalidade de cobrança da Taxa de Combate a Incêndio. Por cautela, há quatro anos a Prefeitura de Londrina não vem lançando a referida taxa, à espera do trânsito em julgado do processo. 


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo