INFORME FOLHA -

Eleições diretas na OAB


Diego Prazeres - Grupo Folha
Diego Prazeres - Grupo Folha

A OAB Paraná lança no próximo dia 5 de outubro a campanha Quero Diretas na OAB, com transmissão pelo canal da subseção no Youtube. O movimento da seccional pela escolha direta dos diretores que compõem o Conselho Federal da OAB (CFOAB) nasceu em 2013. Agora, o tema está na pauta do próprio CFOAB, tendo o debate começado por uma comissão integrada por dois conselheiros federais do Paraná: Artur Humberto Piancastelli, de Londrina, e Airton Martins Molina, de Maringá. A bancada paranaense no Conselho Federal é unânime na defesa do voto direto, uma posição respaldada pela vontade de toda a advocacia, como ficou evidenciado na consulta aberta pela seccional no primeiro semestre do ano. Mais de 1.250 profissionais participaram da enquete, sendo que 92% manifestaram preferência pelo voto direto. 


Diálogo

Para o presidente da OAB, Cássio Telles, o modelo atual, de voto indireto, precisa da abertura de oportunidades para um diálogo prévio que permita ao candidato apresentar suas ideias e projetos e, ao mesmo tempo, ouvir da base da advocacia sugestões que possam contribuir com sua gestão. “Em geral, os presidentes do Conselho Federal são dirigentes de Ordem já experimentados em outras funções da instituição, mas esse diálogo pré-eleitoral permitiria que expandissem o conhecimento de suas realidades regionais para uma visão mais ampla de todo o Brasil”, afirma.


Terrenos da União 

A Câmara Municipal de Londrina aprovou nesta terça-feira (19) em primeiro turno projeto que autoriza a Prefeitura a receber em doação 17 imóveis pertencentes à União. Em troca o município abre mão de dívidas relativas a um outro imóvel que também pertence à União, de R$ 496.685,03. O objetivo do Executivo é utilizar a área doada para implantar unidades habitacionais de acolhimento de idosos independentes, modalidade ainda inexistente em Londrina. Os beneficiários seriam idosos em situação de vulnerabilidade social. 


Candidata ou não em Ibiporã?

Inscrita como candidata a vereadora em Ibiporã pelo Democratas, Cláudia Camila, 29 anos, que está filiada desde o início do ano no partido, diz que foi registrada na Justiça Eleitoral sem sua permissão. Ela afirma que enviou os documentos e fotos achando que iria apenas "trabalhar na campanha política", mas não como candidata a uma vaga na Câmara. Já Gregui, candidato prefeito pelo PSDB , alega que a jovem desistiu por motivos pessoais após ver fotos de campanha serem divulgadas. A legenda disse que não irá dar publicidade da candidatura dela, informará a renuncia na Justiça eleitoral e providenciará a substituição do nome. PSDB e DEM estão coligados na majoritária em Ibiporã. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo