"Quem quiser colher com a separação dos dois, vai quebrar a cara"
Ministro Gilberto Carvalho, negando novamente qualquer discórdia entre Lula e Dilma

Helicóptero de doleiro ficava na Bahia com Argôlo
O helicóptero azul prefixo PP-PRL, do doleiro Alberto Youssef, ficava estacionado em Salvador, em um heliporto do empresário Jorge Cirne, dono do Motel Del Rey. Segundo políticos da Bahia, a aeronave foi usada pelo deputado Luiz Argôlo (BA), do Solidariedade (SD), por cerca de um ano, e também ficava estacionada em Alagoinhas e Entre Rios, onde o deputado e o pai, Manoelito Argôlo, têm propriedade rural.

Dono oficial
A aeronave usada por Argôlo está registrada na Anac em nome da Cardiomedica Comércio e Representações de Materiais Médicos Ltda.

Estranho
A empresa proprietária do helicóptero, nome de fantasia Multimédica, de Salvador, tem capital de R$ 500 mil e aeronave de R$ 1 milhão.

Licitações
Aberta em 2004, a Multimédica ganhou licitações para fornecer próteses à Universidade Federal da Bahia em 2006, 2008 e 2009.

Estacionamento
Jorge Cirne confirmou que a aeronave ficava em seu heliporto, mas não informou o dono, nem o cliente: "Não tenho autorização".

Adversários questionam patrimônio de Reguffe
Quase imbatível na disputa para o Senado, o deputado José Antonio Reguffe (PDT-DF) corre o risco de uma tentativa de "desconstrução" de sua reputação de honestidade. As campanhas de Geraldo Magela (PT) e de Gim Argello (PTB), seus adversários, vasculharam suas finanças e pretendem questionar, por exemplo, a evolução do patrimônio de Reguffe, que saltou de R$ 900 mil em 2010 para R$ 2,8 milhões hoje.

Um financista
Os adversários também planejam provocar Reguffe pelo fato de evoluir de zero para R$ 1,8 milhão em aplicações financeiras líquidas.

Corruptos não declaram
Reguffe disse que declara tudo o que tem e ganha, lembrando que, ao contrário dele, são os corruptos os que mentem à Receita Federal.

Livrando-se do sofá
O prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) vai mudar toda área de comunicação, como se fosse culpa dos profissionais sua má avaliação.

Balanço do nada
De 638 requerimentos, a CPMI da Petrobras aprovou 320, até agora. Destes, 128 são para depoimentos e 156 para requisitar documentos, além de 15 quebras de sigilo de pessoas físicas e 12 de empresas.

Chamando pra briga
O líder do SD, Fernando Francischini (PR), rejeita os "recados" ameaçadores do senador Delcídio Amaral (PT-MS): "O último que fez isso foi Agnelo Queiroz, e acabou com seis processos no STJ".

Joaquim fora
Ricardo Lewandowski toma posse na presidência do Supremo Tribunal Federal em 10 de setembro. Joaquim Barbosa, que o detesta, não deve atender ao convite, como é habitual entre ministros aposentados.

Mau como pica-pau
Confirmando a sentença de Ulysses Guimarães de que em política o mais bobo dá nó em pingo d’água usando luvas de boxe, o marqueteiro João Santana sabe que agrada Dilma brigando com a dupla que ela detesta: o ex-ministro Franklin Martins e Rui Falcão, presidente do PT.

Mulher-bomba
O relator do processo de cassação de Luiz Argôlo (SD-BA), deputado Marcos Rogério (PDT-RO), quer ouvir no Conselho de Ética, já na quarta-feira (13), Meire Poza, ex-contadora do doleiro Alberto Youssef.

Um velho garoto
Apontado com expoente da nova geração, o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), revela-se um político tão à antiga quanto Benedito de Lira (PP), que ele escolheu apoiar para o governo de Alagoas.

Equiparação
A Caoa Hyundai sustenta que outras montadoras do Centro-Oeste, como a Mitsubishi, serão beneficiadas com a pretendida "equiparação" aos privilégios tributários concedidas àquelas instaladas no Nordeste.

Tiro no pé
O deputado João Paulo (PT-PE) diz que não atacou o Supremo. Apenas opinou que José Dirceu não deveria ter sido julgado no STF por haver renunciado ao mandato, como o tucano Eduardo Azeredo.

Homem-bomba de festim
O ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, amigão do senador Delcídio Amaral (PT-MS), depõe na CPMI da Petrobras amanhã. Combinado?

PODER SEM PUDOR

Imagem ilustrativa da imagem CLÁUDIO HUMBERTO



Corda em casa de enforcado
O editor e escritor Luiz Fernando Emediato, da Geração Editorial, visitava o então ministro da Cultura de FHC, Francisco Weffort. Brincalhão, antes de entrar no assunto que o levava ao ministro, Emediato foi logo dizendo, bem alto:
- Ministro, estou fazendo um filme!
Atormentado com os escândalos envolvendo os filmes "Guarani" e "Chatô", que quase viraram caso de polícia, Weffort reagiu alarmado:
- Pelo amor de Deus! Cuidado na prestação de contas!