Petrobras aposta na escassez e mais aumentos


“Vai se encerrando de forma totalmente previsível”

Senador governista Jorginho Mello ao comentar os atos finais e o relatório da CPI da Pandemia


Petrobras aposta na escassez e mais aumentos

A Petrobras anda tão empenhada em produzir lucros para acionistas que não apenas parou de investir, como denunciou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), como tomou uma decisão que provocará escassez de combustíveis no Brasil, de acordo com avaliação de economistas e da associação de distribuidoras de combustíveis (Brasilcom). A escassez de gasolina determinará aumento dos preços finais ao consumidor, com reflexos no emprego, na inflação, na qualidade de vida e na paz social.


Escassez forçada

Com a decisão da Petrobras de cancelar 50% dos pedidos de compra dos combustíveis, a suspeita é que a estatal pretende forçar a escassez.


Mais aumentos

Além da lengalenga da “cotação internacional” e da “variação do dólar”, a falta de gasolina no mercado será também motivo para novos aumentos.


Tecnocratas desafiam

A manobra foi vista em Brasília como mais um desafio dos tecnocratas ao governo e ao presidente da Câmara, aos quais se opõem.


Seria sabotagem?

A escassez teria o objetivo de aniquilar a proposta, aprovada na Câmara, que condiciona aumentos da Petrobras à média dos últimos dois anos.


Debate de tucano vira troca excessiva de gentilezas

O debate morno dos candidatos a presidente pelo PSDB, promovido no Rio, terminou com excesso de gentilezas entre os três concorrentes, João Doria, Eduardo Leite e Arthur Virgílio. O governador de São Paulo passeou quase sozinho nesse encontro político. Foi o que mais citou dados e promessas, fazendo parecer que o gaúcho, principal adversário, é um político de futuro, mas não estaria pronto para governar o País.


Marqueteiro

Doria foi marqueteiro do próprio governo, exaltando seus feitos e afirmando que o PIB de São Paulo cresce acima da média nacional. 


Caminho das pedras

Questionado sobre emendas de relator, criadas na PEC do Orçamento Impositivo, Doria disse que vai “acabar com isso”, mas não disse como.


Paixão pelo Brasil

Leite se irritou e partiu para cima do ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio que, por sua vez, comoveu a todos ao falar de sua paixão pelo Brasil.


Ajuste no texto

O adiamento do anúncio do novo valor do Bolsa Família foi provocado pela necessidade de ajustes no texto da medida a ser assinada pelo presidente. Mas um ministro da área social confirmou o valor de R$ 400.


Bolsa de votos

Há uma certa euforia no Palácio do Planalto com a definição do valor de R$ 400 para o Auxílio Brasil (ex-Bolsa Família, mais auxílio emergencial). A expectativa é que Bolsonaro vai recuperar sua avaliação positiva.


Falta do que fazer

Dez em cada dez turistas em países árabes posam montando camelo ou vestindo trajes típicos locais. Mas como eram Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), mulher e filho, desocupados transformaram isso em “escândalo”.


Importante conquista

A Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec) teve importante conquista. Recebeu autorização dos ministérios da Educação e Ciência e Tecnologia para atuar como fundação de apoio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT). 


Progresso e beleza

O ministro Tarcísio Freitas (Infraestrutura) anunciou a inauguração do novo terminal do Porto de Maceió para novembro. “O litoral mais bonito do Brasil vai ganhar estrutura para cruzeiros à altura do seu potencial”.


Lágrimas fake

Marco Feliciano (PL-SP) ironizou o choro na sessão de ontem da CPI da Pandemia. Não o das vítimas da Covid-19, é claro, mas o de um senador petista, que, segundo o deputado, foi “de fazer inveja ao crocodilo”.


Sem controle externo

Palavra de um ex-conselheiro do CNMP por 4 anos: “Realmente, precisa mudar... Não sei se nos termos da PEC, mas que tem que mudar, tem”. Ele contou que os procuradores não deixam passar nada no conselho nacional do Ministério Público: “A maioria é do MP e votam fechados”.


Uma década 

Completa dez anos nesta quarta-feira (20) a morte do ditador da Líbia, Muammar Gaddafi, aquele que era muito elogiado pelo petista Lula. Ele foi capturado e morto, na rua, dois meses após a queda do seu regime.


Pensando bem...

...com 106 milhões de brasileiros imunizados e 73,5% com ao menos uma dose, CPI boa mesmo seria a do Preço da Gasolina.


PODER SEM PUDOR

Sem-vergonhice

 

Petrobras aposta na escassez e mais aumentos
Enio
 


Certa vez, em 1988, o ex-ministro Nelson Jobim foi dar uma força na campanha do PMDB à prefeitura de Tupanciretã (RS), região em que os candidatos têm o hábito de demonstrar civilidade visitando os palanques dos adversários. Jobim já discursava quando o adversário, Dr. Marcel (PDS), subiu ao palanque. Ele impostou a voz para perguntar à plateia: “Por que será que o Dr. Marcel está no nosso comício?...” O grito de um bêbado estragou a profunda reflexão pretendida por Jobim: “Porque ele é um sem-vergonha, tchê!”

___

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

www.diariodopoder.com.br


A opinião do colunista não reflete, necessariamente, a da FOLHA

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo