Bolsonaro deve vetar R$5,7 bi para fundo eleitoral


“Querem nos acusar de corrupção onde nada foi comprado”

Presidente Jair Bolsonaro sobre “compra de vacinas” que não foram adquiridas


Bolsonaro deve vetar R$ 5,7 bi para fundo eleitoral

Eleito presidente da República em uma campanha que custou R$ 2 milhões, o presidente Jair Bolsonaro deve vetar o valor absurdo de R$ 5,7 bilhões que o Congresso pretende extrair dos cofres públicos para financiar a campanha eleitoral deles próprios e dos aliados, em 2022. Ao menos esta é a expectativa dos próprios ministros e assessores do Planalto. O valor é quase o triplo dos R$ 2 bilhões de recursos públicos distribuídos a partidos e candidatos na campanha eleitoral de 2018.


Que derrubem o veto

Se o veto for derrubado, o que é provável, tal a gula por dinheiro público na campanha, o ônus da tunga será exclusivamente dos parlamentares.


Campanhas mais baratas

Os R$ 5,7 bilhões são absurdos porque as campanhas estão cada vez mais baratas, em razão do papel preponderante das redes sociais.


Muitos votos, pouco gasto

A campanha da deputada estadual recordista em votos, Janaína Paschoal, em São Paulo, custou cerca de R$ 50 mil.


Eles têm a chave do cofre

O Fundo Eleitoral eliminou os intermediários (empreiteiras etc) e deu à classe política nada menos do que a chave do Tesouro Nacional.


Casos da Covid estão no menor nível desde fevereiro

O Brasil registra atualmente o menor patamar de casos ativos da Covid-19 desde o dia 22 de fevereiro. Até ontem, havia mais de 813 mil casos sem desfecho da doença no País. Há 143 dias eram 811 mil. No último dia 11 de julho, o País registrou menos de um milhão de casos ativos pela primeira vez desde 5 de maio, quando 992 mil estavam infectados. 


Cerca de 120 milhões de brasileiros (41,5% da população) já receberam ao menos uma dose e 32,5 milhões estão totalmente imunizados.


Com uma dose

Até ontem, 87 milhões de brasileiros receberam ao menos uma dose desde o início da campanha nacional de vacinação.


Semanas de queda

Desde 27 de junho o número de pessoas doentes vem caindo no Brasil, quando quase 1,3 milhão de brasileiros estavam infectados.


Distribuição rápida

Já foram distribuídas aos Estados mais de 153 milhões de doses de vacinas, segundo o Ministério da Saúde.


A Viúva escapou

O depoimento de ontem na CPI da Pandemia, como aquele do cabo da PM metido a sabido, serviu para mostrar o de sempre: espertalhões tentando levar algum da Viúva. Só que, desta vez, não levaram.


Ladrões blindados

Proposta de uma deputada do PCdoB discrimina militares, proibindo-os de ocupar cargos públicos por dez anos, após a aposentadoria. PEC para manter políticos ladrões longe dos cofres públicos, como aqueles que seu partido apoiou nos governos do PT, necas de pitibiriba.


Só pensam naquilo

Agora que consolida a candidatura ao Planalto, o presidente do Senado, Rodrigo Cunha, é criticado por prorrogar a CPI da Pandemia. Afinal, ele seria agora um dos principais interessados no desgaste do rival de 2022.


Por que não?

Com aeroportos, shoppings, feiras, academias, escolas etc. lotados como se não houvesse pandemia, é até infantil a crítica à presença de público no jogo Flamengo vs. Defensa y Justicia, quarta (21), em Brasília. Mas só terá acesso quem mostrar teste negativo e vacinação completa.


São Paulo avança

São Paulo será o primeiro a atingir a marca de 30 milhões de doses de vacinas aplicadas na população. É o Estado que proporcionalmente mais aplicou primeiras doses: 48,7% da população.


Férias e retomada

Os 3,4 milhões de alunos da rede estadual de ensino de São Paulo entram de férias a partir desta sexta-feira. O retorno está previsto para o dia 2 de agosto, quando as aulas devem voltar a ser presenciais.


Sem espaço vazio

Após a nomeação de André Mendonça para o STF, advogados da União e procuradores da Fazenda Nacional se movimentam para emplacar o substituto no cargo de Advogado-Geral da União.


Brasil na Guerra

Completa 77 anos nesta sexta-feira (16) o desembarque da primeira legião da Força Expedicionária Brasileira (FEB), na Itália, para se juntar aos exércitos Aliados, durante a Segunda Guerra Mundial.


Pensando bem...

...às vezes a CPI da Pandemia parece investigar a Corrupção Porcina, aquela que foi sem nunca ter sido.


PODER SEM PUDOR

Editando o Diário Oficial

 

Bolsonaro deve vetar R$5,7 bi para fundo eleitoral
Enio
 


Político folclórico do Rio Grande do Norte, o major Teodorico Bezerra não poupava esforços quando queria ajudar Santa Cruz, município de sua base eleitoral. Reza a lenda que, ao ser informado de que a vizinha Nova Cruz ganharia agência dos Correios, foi à editora do Diário Oficial e mandou trocar Nova por Santa. Santa Cruz ficou com o posto da ECT. Questionado por um adversário, anos depois, Teodorico demonstrou sua habilidade política: “Sou um homem de 75 anos, de modo que só lembro do que aconteceu de seis horas da manhã para cá.”

___

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

www.diariodopoder.com.br

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo