AOS DOMINGOS PELLEGRINI -

O olho de Bashô


 

.
. | Dalva Vidotte /Divulgação
 


Mudanças! No Japão de 1600, o haicai era usado para pilhérias e chistes, até o poeta Bashô passar a usar os três versos para olhar com graça e gratidão a natureza. Chamo de haicaipiras meus haicais, como estes:

Flores do flamboiã

chuva miúda

vermelhando o chão

*

Tempo de palha

passarinho trabalha

tecendo ninho

*

Flutua inquieta

no arbusto em flor

a flama da borboleta

*

Catavento

quanto mais cata

mais nada tem

*

É sede que ensina

pardal a beber

da piscina?

*

Canta o bem-te-vi

pomba pergunta onde

sabiá responde por aí

*

Inspiração

puxar o ar

para o coração

*

Feliz por pouco

portão pintado

casa de sorriso novo

*

Com suas lambidas

o tempo bem sabe

cuidar das feridas

*

A tarde cai em silêncio

o sol morre sem gemer

a paz não faz alarde

*

Fim de tarde

recende a jasmim

todo o arrebalde

*

Poente nascente

momentos imensos

da gente

*

Estou indo diz o dia

já vai tarde diz a noite

só me volte amanhã cedo

*

A primeira estrela

era só aquela

agora cadê ela


*

Dos astros à minhoca

é divino

tudo que te toca



Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo