|
  • Bitcoin 150.538
  • Dólar 4,9314
  • Euro 5,2113
Londrina

AGRONEGÓCIO RESPONSÁVEL

m de leitura Atualizado em 07/04/2022, 17:48

Inovar para produzir e lucrar mais

A alternância pasto-lavoura é uma excelente ferramenta para recuperar milhões de hectares de pastagens degradadas Brasil afora

PUBLICAÇÃO
sábado, 09 de abril de 2022

Amélio Dall’Agnol
AUTOR autor do artigo

menu flutuante
O sistema iLPF (integração lavoura-pecuária-floresta) integra o cultivo de lavouras com a de pastagens e florestas O sistema iLPF (integração lavoura-pecuária-floresta) integra o cultivo de lavouras com a de pastagens e florestas
O sistema iLPF (integração lavoura-pecuária-floresta) integra o cultivo de lavouras com a de pastagens e florestas |  Foto: Karina Purolnik/Embrapa
 

Que as produtividades nos campos de produção agrícola brasileiros cresceram significativamente a partir da década de 1970, e muito especialmente a partir dos anos 90, não é desconhecimento de ninguém, no Brasil e no exterior. Grãos, fibras e carnes deram um salto em produtividade e, consequentemente, na produção, digno de registro e admiração. Afinal, o Brasil não é tido como um país tropical subdesenvolvido?! Porque com o agronegócio está sendo diferente!

Porque aqui contamos com agricultores diferenciados. São eficientes, dedicados e dinâmicos e que apostaram na tecnologia como principal ferramenta para ter sucesso. São agricultores tipo exportação, principalmente no manejo de solos em climas tropicais.

Dentre os principais avanços tecnológicos adotados pelos nossos produtores ao longo dos últimos 50 anos, cabe ressaltar a adoção do sistema plantio direto na palha (SPD) que viabilizou o milho “safrinha”.

O SPD viabilizou a segunda safra do cereal, porque primeiro possibilitou a antecipação da semeadura da soja, dispensando o revolvimento do solo para o seu estabelecimento. A lavração e depois a gradagem de uma lavoura promovia o ressecamento do solo, que, consequentemente, precisava esperar por uma chuva para ser semeado. Isto podia demorar dias ou semanas, prejudicando sua melhor janela de estabelecimento. Isto não ocorre com o SPD, cuja umidade fica protegida sob a palhada e permite o plantio imediatamente após a colheita da cultura anterior.

Mas não é sobre o SPD que nós queremos concentrar nosso bate papo, e sim sobre outra ferramenta, esta mais recente, que também está revolucionando a agricultura brasileira: o sistema iLPF (integração lavoura-pecuária-floresta), que integra o cultivo de lavouras com a de pastagens e florestas. Neste espaço, vamos nos fixar apenas na alternativa lavoura com pecuária (iLP), a mais explorada, visto que a opção lavoura com florestas ainda é muito pouco praticada e pecuária com florestas tem importância relativa menor do que lavouras com pecuária e poderá ser opção de análise em outra oportunidade.

 O plantio sucessivo de uma cultura na mesma área esgota unilateralmente a fertilidade de um solo e incrementa as pragas e inóculos de doenças dessa cultura. A alternância pasto-lavoura é uma excelente ferramenta para reduzir esse problema e recuperar milhões de hectares de pastagens degradadas Brasil afora e incorporá-las ao processo produtivo de grãos e, posteriormente, devolvê-las à produção pecuária, mas em outro nível de produtividade.

As vantagens pela adoção do sistema iLP são muitas, dentre as quais vale ressaltar a diversificação de atividades dentro da propriedade promovendo o melhor equilíbrio de fluxo de caixa e a redução do custo de reforma de pastagens. O sistema auxilia, ainda, na formação de palhada de qualidade para o SPD que contribui, por sua vez, para interromper o ciclo de desenvolvimento de pragas e doenças e para redução de plantas invasoras da lavoura, além da   otimização do uso do maquinário.

“No dia que o pecuarista tratar sua pastagem como uma lavoura, descobrirá o que é produtividade.” (PRODAP)

 Amélio Dall’Agnol e pesquisador da Embrapa Soja em Londrina