|
  • Bitcoin 139.918
  • Dólar 4,7700
  • Euro 5,1220
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 07/04/2022, 14:39

Volta das aulas presenciais reforça importância da Brigada Escolar

Implantado em Londrina há três anos, curso prepara professores, diretores e coordenadores para atuar em situações de emergência

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 07 de abril de 2022

Micaela Orikasa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Divulgação/SME
menu flutuante

Uma fumaça detectada na cozinha da sede da SME (Secretaria Municipal de Educação) em Londrina fez com que todos os 150 servidores abandonassem os postos de trabalho, seguindo instruções para a rota de fuga. Apesar da semelhança com uma situação real, a ação foi um simulado promovido nesta quinta-feira (7).  

Imagem ilustrativa da imagem Volta das aulas presenciais reforça importância da Brigada Escolar Imagem ilustrativa da imagem Volta das aulas presenciais reforça importância da Brigada Escolar
|  Foto: Micaela Orikasa - Grupo Folha
  

A iniciativa faz parte do treinamento da Norma Regulamentadora n°23 do Ministério do Trabalho, da NPT (Norma de Procedimento Técnico) do Corpo de Bombeiros do Paraná e do curso de Brigada Escolar, implantado no município há três anos. Através do curso, todas as escolas da rede municipal passaram a contar com professores, diretores e coordenadores com formação brigadista para atuarem em situações de urgência e emergência.

“A cada ano, um grupo de profissionais passa por 32 horas de treinamentos e aulas de reciclagens, tanto teóricas quanto práticas. Por conta da pandemia (do coronavírus) as formações tiveram continuidade, mas em outros formatos. Agora que estamos voltando ao presencial, essa vivência prática é ainda mais importante em todas as escolas, especialmente com os profissionais que atuam em CMEIs e CEIs”, afirma a gerente de Formação Continuada da SME, Viviane Barbosa Perez.  

De acordo com ela, os centros municipais de Educação Infantil e as unidades conveniadas com o município possuem algumas especificidades por atenderem crianças de colo. “Os simulados também ocorrem in loco em cada unidade porque as estruturas físicas são diferentes umas das outras e envolvem orientações específicas como pela presença de carrinhos, por exemplo”, diz.  

Ao todo, são 178 unidades escolares do município com profissionais brigadistas. Neste ano, outros mil professores, diretores e coordenadores, assim como os servidores que atuam na sede da SME, deverão estar aptos a enfrentar situações de emergência. O curso é promovido pela SME em parceria com a secretaria municipal de Recursos Humanos.  

“Esta capacitação foi aprimorada e o novo modelo vem sendo ofertado desde 2019, não só para fins de exigência legal, mas principalmente porque primamos pela segurança de todos. Com relação à sede, por ser um prédio novo, inaugurado no ano passado, é extremamente importante este momento de capacitação dos servidores", comenta a secretária Municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes.

LEI LUCAS 

A responsável pelo curso da Brigada Escolar, Cláudia Elizabete Gonçalves, explica que a formação envolve tanto as normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho e do Corpo de Bombeiros do Paraná, quanto a Lei Lucas (Lei Nº 13.722) que torna obrigatória a “capacitação em noções básicas de primeiros socorros de professores e funcionários de estabelecimentos de ensino públicos e privados de educação básica e de estabelecimentos de recreação infantil”.  A Lei Lucas foi entrou em vigor em abril de 2019, em todo o território nacional, e surgiu após um estudante de 10 anos morrer em Campinas, no interior de São Paulo. O aluno engasgou com um lanche durante um passeio escolar, em setembro de 2017.  (Com N.Com) 

DICAS GERAIS DE SEGURANÇA EM CASO DE INCÊNDIO: 

- Cada local tem suas especificações. Procure conhecer o ambiente no qual você está, localizando possíveis saídas de emergência; 

-Em caso de incêndio, deixe o local o mais rápido possível, mas de maneira ordenada. Faça filas indianas para a rota de fuga, pois o efeito “manada” aumenta o risco de acidentes como pisoteamentos; 

-Procure sempre seguir o fluxo das orientações, buscando manter a calma. Caso alguém entre em pânico e não consiga sair, não tente retirá-la sozinha. Busque a ajuda de mais pessoas para que, se necessário, possam carregá-la;

-Quem não possui conhecimento técnico não deve tentar apagar o fogo e nem tentar preservar objetos e pertences; 

-Em uma edificação, nunca use o elevador em caso de incêndio; 

-Se a fumaça estiver densa, um pano umedecido pode ser usado para cobrir a boca e o nariz durante a rota de fuga. Outra dica para situações em que o incêndio é de maior proporção é andar agachado, mais próximo ao solo, até a saída; 

-  A maioria dos incêndios são causados por meio elétrico. Certifique-se que as instalações elétricas estão adequadas e com as manutenções em dia;  

Fonte: Bombeiro civil Edivaldo Mariano de Andrade, instrutor do Curso da Brigada Escolar  

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.