De Maringá
O Setor de Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde de Maringá comemora o índice de 2,53% de infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, nas residências locais. É o menor índice desde a epidemia de dengue registrada na cidade em 1995. No primeiro semestre de 99, conforme dados da Fundação Nacional de Saúde, o índice de infestação era de 8,28%.
Apesar do baixo índice de mosquito, o chefe do setor de Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde, Valdemi de Lima, alerta para o período de janeiro até abril, quando o clima quente e úmido favorece a proliferação. ‘‘Estamos bem próximos do 1% preconizado pela Organização Mundial de Saúde, mas a população tem que continuar atenta, fazendo a limpeza dos quintais e retirando principalmente latas, pneus, garrafas e demais utensílios que possam armazenar água da chuva.’’
Segundo Lima, os 120 agentes de saúde contratados no segundo semestre de 99 continuam visitando as casas na cidade cidade e nos distritos de Iguatemi e Floriano. Além de aplicar larvecidas em recipientes que propiciam a proliferação do mosquito, os agentes orientam os moradores sobre os cuidados para o combate da dengue. ‘‘Estamos em fase de controle da doença’’, comemora Lima.