Betânia Rodrigues
De Londrina
Especial para a Folha
‘‘O Natal da rede hoteleira de Londrina acontece em janeiro este ano’’, disse Alvir Bocchi, superintendente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares.
Tanta euforia se deve ao grande número de hóspedes que os estabelecimentos devem receber este mês em virtude do vestibular da UEL (Universidade Estadual de Londrina) e ao Pré-Olímpico de futebol. Bocchi acredita que 50% dos 5.300 leitos da cidade devam ser ocupados somente com profissionais e fãs da bola.
Alguns hotéis já estão lotados, como é o caso do Crystal Palace Hotel que hospeda a Seleção Brasileira. Lá, apenas 27 dos 89 apartamentos foram destinados aos vestibulandos que começam a maratona de provas no domingo.
No hotel Nóbile, os vestibulandos devem ocupar cerca de 80% dos quartos disponíveis até o dia 12. Segundo a gerência, após essa data os adolescentes serão substituídos pela seleção do Equador e pela imprensa. Essa também é a expectativa do hotel Sumatra que já tem 75% dos apartamentos reservados para vestibulandos que vem, principalmente, de Campinas e outras cidades do interior paulista. Nesse estabelecimento ficarão os jogadores e equipe técnica da Colômbia.
Mas não são apenas os hotéis escolhidos pelas delegações que deverão lucrar com o evento. No hotel Coroados, por exemplo, de 80% a 100% dos quartos ficarão ocupados este mês. ‘‘É uma maravilha. Estamos muito satisfeitos porque os meses de janeiro e fevereiro normalmente são muito parados, com exceção apenas do vestibular’’, disse o recepcionista Aureliano Pereira Araújo.
No hotel Caçula, a procura por reserva também tem sido grande. Assim como em outros estabelecimentos, 30% a 40% dos quartos são destinados aos hóspedes tradicionais, que a partir de março aumentam a ocupação dos leitos. Prevendo a disputa de vagas nessa época, muitos colégios e cursinhos antecipam a reserva de seus alunos em até seis meses.
‘‘Após o vestibular, a média de ocupação dos quartos em janeiro não passa dos 25%. Este ano é atípico. Talvez hospedemos este mês uma comissão de árbitros para o Pré-Olímpico’’, disse Fábio Vezozzo, diretor do hotel Bourbon.
O Núcleo de Bem-Estar da Comunidade (Nubec) da UEL, no entanto, não tem recebido muitas consultas de candidatos. Segundo José Carlos Francisco, encarregado administrativo, diariamente o Núcleo tem atendido cerca de seis ligações de estudantes que procuram pensões para se hospedarem durante as provas. ‘‘Temos uma relação de 33 pensionatos, com 911 vagas para meninas e meninos’’, afirmou.