Começou ontem em Londrina o 3º Encontro de Atividades Científicas da Universidade Norte do Paraná (Unopar), com apresentação de 756 trabalhos selecionados entre 900 inscritos, número considerado recorde diante das outras edições do evento. A maioria dos projetos recebidos é da própria Unopar, mas diversas instituições do Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul enviaram representantes.
A programação inclui apresentações oral e escrita, além de minicursos e palestras nas áreas de Ciências Biológicas/Saúde, Ciências Jurídicas/Empresariais, Ciências Humanas/Educação e Ciências Exatas/Tecnológicas. O melhor trabalho de iniciação científica de cada área receberá um prêmio no valor de R$ 700. A comissão julgadora foi formada por profissionais de outras instituições.
A variedade de temas abordados caracteriza os trabalhos expostos no encontro. Entre alguns destaques, o painel Biodireito e a Normatização dos Avanços Biotecnológicos, que explica temas polêmicos como os produtos transgênicos; o projeto Genoma e transexualidade; a Biofábrica, sobre cultivo de plantas in vitro, assessorada pela Universidade Agrária de Havana, em Cuba; e a exposição de móveis e luminárias feitos a partir de sucata.
Durante a solenidade de abertura foi lançado o Projeto Maturidade, que vai envolver diversas áreas da instituição e beneficiar idosos de Londrina e região através da implantação da Universidade Aberta da Maturidade, com previsão para início de funcionamento já no ano que vem. O objetivo principal do projeto é resgatar a dignidade dos mais velhos e possibilitar a sua realização pessoal, além de promover oportunidades para que transmitam sua experiência aos mais novos.
Dentro desta perspectiva, a universidade já realiza diversos projetos de extensão que visam garantir o bem-estar dessa parcela da população. Em parceria com a Secretaria Municipal do Idoso, estudantes de cursos da área da saúde participam do projeto ‘‘Coração Feliz’’, ajudando no controle da hipertensão e na prevenção de doenças bucais.
No Jardim Piza (zona sul), onde funciona a universidade, os idosos contarão com o subprojeto ‘‘Vida Plena’’, que consiste em levar para o bairro atividades na área de educação física, artesanato e orientação na área jurídica. O encerramento do 3º Encontro de Atividades Científicas acontece hoje, às 20 horas, com a divulgação dos trabalhos premiados.