Dos cerca de 10 mil túmulos existentes no único cemitério urbano de Campo Mourão, 40% estão em estado de abandono. O levantamento foi feito pela administração do Cemitério Municipal São Judas Tadeu, que tem mais de 40 anos e 15 mil mortos enterrados. ‘‘O número de túmulos abandonados é grande’’, admitiu a administradora do cemitério Sônia Silvestrin. ‘‘Pela lei, a maioria deles já pode ser removida.’’
É graças às remoções que o São Judas Tadeu vem resistindo ao tempo e se mantendo como único cemitério da zona urbana. Há cinco anos, para cada novo corpo que chega ao ‘‘campo santo’’, um tem que ir para o ossário.
Mesmo com essa política, Sônia não prevê uma vida muita longa para o cemitério. ‘‘Acho que dá para mais uns seis meses.’’ O secretário municipal de Infra-Estrutura e Meio Ambiente, Ademir Moro Ribas, afirma que a prefeitura continua estudando um local para o novo cemitério.
Há cinco anos, a prefeitura chegou a anunciar a ampliação do cemitério num terreno ao lado, mas houve protesto de moradores vizinhos e a área acabou loteada. Vizinhos também protestaram quando a prefeitura comprou um prédio para fazer uma capela mortuária. O negócio acabou desfeito.