A Universidade Estadual de Londrina (UEL) divulgou ontem o resultado do 2º Vestibular dos Povos Indígenas. São 18 aprovados que vão ocupar três vagas em cada uma das seis universidades estaduais de Londrina, Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG), Oeste (Unioeste), Central do Paraná (Unicentro) e Estadual do Paraná (Unespar).
Cada universidade define a data da matrícula. Os indígenas que vão estudar na UEL devem se matricular no dia 7 de abril, das 8 às 11 horas e das 14 às 17 horas, na Coordenadoria de Assuntos de Ensino e Graduação (CAE), e as aulas começam no dia 5 de maio.
Este ano, a Comissão Permanente de Seleção (Copese) da Universidade Estadual de Londrina foi responsável pela organização e aplicação do concurso. Segundo o coordenador de Assuntos de Ensino de Graduação, Jairo Queiroz Pacheco, o processo foi positivo, tanto no número de inscritos, quanto na origem dos candidatos, representando várias reservas indígenas do Paraná. Cinquenta e sete candidatos fizeram as provas. Seis inscritos não compareceram.
Na UEL, foram aprovados Adriane de Cássia Guergolet (medicina), Janaina Kuitá Rodrigues (pedagogia) e Marco Antonio Guergolet (odontologia). Os futuros calouros da UEM são João Santo de Oliveira (pedagogia), Moacir Mendes Mansilha (engenharia mecânica) e Valmir Matias (agronomia). Na UEPG, os aprovados são Angelo Kavigtanh Rufino (educação física), Dilson Kukutánh Bernardo (educação física) e Dorival Jeca (enfermagem).
Foram aprovados na Unicentro, Alvaci Jesus Salles Ribeiro (administração), Maria Eufrásio (pedagogia) e Neoli Kafy Rygue Olíbio (administração). Na Unioeste, passaram no vestibular Nelson Luiz dos Santos (informática), Sidineis Luiz dos Santos (enfermagem) e Sueli Gaso Fernandes (informática). Finalmente, na Unespar foram aprovados Jussara Mariana da Silva (geografia), Laires Lourenço (pedagogia) e Marcio Andre Kócoi Menegotto (licenciatura em desenho).