Emerson Dias
De Foz do Iguaçu
Especial para a Folha
O Corpo de Bombeiros de Foz do Iguaçu registrou três ataques de cães contra pedestres, dois envolveram crianças. Andrea Ramalho dos Santos, de 7 anos, e Sonia Marques Rodrigues, de 18 anos, foram atacadas entre 20 e 22 horas do dia 31 e passaram o réveillon no hospital.
O caso mais grave aconteceu com Henrique Pignatáro Cardoso, de 9 anos. Ele recebeu 96 pontos no braço esquerdo e teve que passar por uma cirurgia para recuperar o tecido na altura do músculo bíceps. Os médicos informaram que o menino terá que fazer uma operação plástica para corrigir a estética do braço.
Segundo Henrique, o ataque aconteceu na frente da mercearia de propriedade do seu avô, Milton Pignatáro. Ele contou que Carlinhos, o filho do dono do cachorro, um pastor belga, veio até o mercado fazer compras acompanhado pelo animal. ‘‘Estava brincando no gramado em frente à mercearia e, de repente, vi o cão avançar. Aí tentei me proteger com o braço’’, disse.
O avô ouviu os gritos e correu para socorrer o garoto. ‘‘Quando cheguei na porta do mercado, vi o animal arrastando meu neto. Como pensei que estava mordendo o pescoço, saltei sobre o bicho e tentei soltar de qualquer jeito’’, descreveu Milton.
O proprietário do cachorro não quis se identificar. A esposa dele contou que foi o menino que provocou o cão, fazendo ele atacar. Ela disse também que animal recebeu todas as vacinas e que assume as despesas que serão gastas com remédios para o menino. Ela, no entanto, não mostrou a carteira de vacinação do animal.
A mulher mostrou o cachorro, que estava preso em um pequeno canil. No focinho uma marca de tiro. Ela não quis comentar sobre o assunto, mas o filho Carlinhos contou que os moradores tentaram matar o cão depois do acidente e que uma arma foi disparada por outro vizinho, que é policial militar.
O avô da vítima já registrou ocorrência contra o vizinho e disse que a audiência está marcada para fevereiro. ‘‘Quero garantir pelo menos os custos da cirurgia plástica que precisa ser feita’’, disse Milton. ‘‘O menino nasceu de novo.’’
A Vigilância Sanitária foi chamada e deve avaliar as condições do animal somente amanhã.