O secretário de Segurança, José Tavares, garantiu ontem que haverá segurança suficiente para a realização do segundo turno das eleições municipais, apesar da paralisação dos policiais civis. ‘‘As eleições não serão prejudicadas’’, assegurou o secretário.
Tavares também disse que ‘‘caso haja necessidade’’ serão convocados mais policiais militares para trabalhar no domingo. A assessoria de imprensa do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) informou ontem que o trabalho da Polícia Civil ‘‘pouco interfere’’ no trabalho de segurança no dia da eleição. Como o TRE é considerado um órgaão federal, explicou o jornalista Marden Machado, a responsabilidade pela segurança é das polícias federal e militar. Ele garantiu que está descartada a hipótese de convocação de tropas federais.
A Polícia Militar deve colocar todo seu efetivo em alerta no domingo. Mesmo antes da greve dos policiais civis, o comando da PM havia decidido reforçar o policiamento em Curitiba, Londrina e Maringá, as únicas cidades do Estado onde haverá segundo turno. No primeiro turno foram registradas 810 ocorrências em todo o Paraná, 83 delas, em Curitiba.