|
  • Bitcoin 118.076
  • Dólar 5,2225
  • Euro 5,3507
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 30/06/2022, 15:17

Tarifas de ônibus intermunicipais ficarão mais caras a partir de sexta

DER autorizou reajuste após decisão da Justiça a favor de entidades que representam as empresas; linha Ibiporã-Cambé terá aumento de 28%

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 30 de junho de 2022

Pedro Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Pedro Marconi - Grupo Folha
menu flutuante

A partir da zero hora desta sexta-feira (1º) as empresas que exploram o transporte intermunicipal irão aumentar o valor das passagens.

A autorização do DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná) atende a uma decisão da Justiça, que na semana passada determinou o reajuste das tarifas metropolitanas, atendendo uma ação impetrada pela Fepasc (Federação das Empresas de Transporte de Passageiros dos Estados do Paraná e Santa Catarina) e pelo Rodopar (Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros Estado do Paraná). 

Segundo o DER-PR, o percentual médio de aumento deverá ser de 22,38% para as linhas rodoviárias e de 28,04% para as metropolitanas. A TIL, responsável pela linha Ibiporã-Cambé, fará um incremento de 28% e a passagem vai passar de R$ 4,45 para R$ 5,70. Já o trajeto Londrina-Rolândia, de responsabilidade da Viação Garcia, vai custar R$ 6,05, aumento de R$ 0,30. 

LEIA TAMBÉM: 

CEI do transporte público deve ser "engavetada" na Câmara

Prefeitura vai instalar letreiro “Eu amo bike Londrina” na região sul

'TUDO AUMENTA NESSE PAÍS'

Entre os passageiros que dependem do transporte público para os deslocamentos nas cidades da região a informação gerou insatisfação. “Tudo aumenta nesse País, mas o salário de quem é assalariado não. Deveriam refletir, porque estamos numa crise econômica”, afirmou o vendedor Ronaldo Valim.

O autônomo Marcos Lopes relatou que o gasto extra terá impacto na renda da família. “Moro em Ibiporã e estou desempregado. Quando preciso de ônibus para fazer algum trabalho pontual tiro do meu bolso para pagar. É triste”, classificou. 

Outra crítica é com a falta de estrutura para as pessoas que partem de Londrina para municípios da região metropolitana. Atualmente os passageiros estão espalhados em pontos de ônibus na avenida Leste-Oeste, no entorno do terminal central.

“Todo ano aumentam a passagem, as empresas ganham mais e nós continuamos na mesma, enfrentando sol e chuva”, lamentou a dona de casa Bernadete Souza. O Estado tem projeto para construção de um terminal metropolitano num terreno de 12 mil metros quadrados na Leste-Oeste, entretanto, ainda não há uma data para a ideia virar realidade. 

DIESEL 

O DER-PR informou que o principal impacto no reajuste da tarifa é a alta acumulada do diesel, que chegou a 51,04% nos últimos 12 meses. Uma lei aprovada no Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro diminuiu o teto da alíquota do ICSM sobre os combustíveis para 18%. O Paraná, que cobra 25%, disse que vai seguir a nova legislação e a redução deve ocorrer até semana que vem. O órgão também justificou que o cálculo da passagem levou em conta a correção salarial de motoristas, cobradores e os outros funcionários das empresas do setor. 

O reajuste anual está previsto em decreto. “O cálculo de reajuste visa garantir a continuidade da prestação do serviço público de transporte intermunicipal, que precisa ser não apenas viável, mas também competitivo”, argumentou Maria Elizabete Bozza, coordenadora de Transporte Rodoviário Comercial do DER-PR, em texto divulgado pelo próprio departamento. O reajuste não atinge as linhas de ônibus outorgadas pela Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba. 

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.