Situação de meninas e meninos paranaenses


Reportagem Local
Reportagem Local

Curitiba - Das 9.450 escolas existentes no Paraná (77% públicas e 23% privadas), 80% não possuem laboratório de ciências e 40% laboratório de informática, 45% não oferecem quadra de esportes, 42% estão sem biblioteca e em 39% delas não há água filtrada. Dados como esse poderão ser encontrados no CADÊ Paraná, uma plataforma digital lançada recentemente pelo Centro Marista de Defesa da Infância, da Rede Marista de Solidariedade.
A plataforma reúne informações sobre a situação dos direitos humanos de meninas e meninos nos 399 municípios paranaenses. Navegando por ela é possível visualizar, comparar e analisar mais de 80 indicadores sobre Educação, Saúde, Habitação, Demografia, Economia, Cidadania, Legislação e Justiça.
De acordo com o articulador do Centro Marista de Defesa da Infância, Douglas Moreira, a plataforma busca facilitar o acesso aos dados que podem qualificar as políticas públicas no Paraná e contribuir para o fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos, disponibilizando um espaço de referência na internet para subsidiar o trabalho de gestores, executores de políticas públicas, pesquisadores e organizações da sociedade civil.
"Esperamos que por meio do uso desses dados, as políticas de atendimento a crianças e adolescentes sejam qualificadas, que os profissionais responsáveis pela gestão e execução dessas políticas tenham melhores condições para avaliar, planejar e desenvolver ações que beneficiam e atendam às necessidades dessa população infanto-juvenil, de acordo com suas reais prioridades", declara Douglas.
Outra intenção do projeto é contribuir na qualificação dos Planos Decenais Municipais, que devem ser realizados até o fim de 2016. Isso porque os conselheiros municipais dos direitos da criança e do adolescente, responsáveis pela elaboração dos Planos, poderão utilizar o CADÊ Paraná para compor suas análises sobre situação dos direitos humanos dos meninos e meninas da sua cidade. Dessa forma, é possível criar um planejamento para os próximos dez anos que priorize a superação das violações de direitos humanos contra crianças e adolescentes, por meio de políticas públicas e destinação adequada do orçamento público.

FONTES OFICIAIS
Os dados da plataforma são extraídos de fontes oficiais (como IBGE, Inep e DataSUS) e a atualização ocorre conforme a disponibilização das bases por essas fontes, que têm periodicidade anual (por exemplo, o Censo Escolar) ou decenal (Censo Demográfico).
Na dimensão da saúde, por exemplo, a plataforma traz dados que revelam que dos óbitos de crianças até 14 anos, 72% são de crianças de até 1 ano. As internações de crianças com menos de 1 ano representam 43% afecções do período perinatal, sendo 27% de doenças do aparelho respiratório e 59% casos de pneumonia.
No site www.cadeparana.org.br há um vídeo tutorial com orientações sobre como utilizar a plataforma e acessar os indicadores, que podem ser filtrados por município, sexo, idade, entre outros. A pesquisa também poderá ser compartilhada no facebook, twitter, e-mail e ser salva em PDF.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo