Servidores municipais reivindicam reajuste Maigue Gueths De Curitiba Representantes dos 17 mil servidores municipais e 7 mil professores da rede pública de ensino de Curitiba iniciaram ontem a campanha salarial da categoria, cuja data-base é em 31 de março. Eles entregaram suas pautas de reivindicações à prefeitura, e saíram na expectativa de que a primeira negociação ‘‘aconteça nos próximos dias’’. Apesar do prefeito Cassio Taniguchi ter anunciado a concessão de dois repasses de 3,92% em fevereiro e em junho, a categoria reivindica mais 8,68%, necessários para zerar as perdas salariais durante a gestão do atual prefeito, conforme cálculos do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Sócio-Econômicos (Dieese). Segundo o diretor de imprensa do Sindicato dos Servidores Municipais, Mário Cassaca, apesar da prefeitura alegar que concedeu reajuste em 97, aquele índice correspondia às perdas do ano de 96. A única reposição desde que Taniguchi assumiu, segundo ele, está acontecendo agora, com os 8% anunciados pela prefeitura. ‘‘Ainda temos mais 8,68% para receber.’’ A categoria também reivindica a reposição de perdas históricas, distintas para professores e demais servidores em função de repasses diferentes no passado. Os servidores também querem mudanças no sistema de seguridade dos servidores. Eles querem representação igual dos funcionários na gestão do Instituto de Previdência Municipal de Curitiba (IPMC) e do Instituto Curitiba de Saúde (ICS), através da formação de conselhos tripartites. Pedem, ainda, alterações na lei 9626/99, transformando o ICS, que hoje é uma entidade de direito privado em uma autarquia municipal.