Lino Ramos
De Londrina
O secretário de Fazenda de Londrina, Jair Gravena, revelou ontem que o município tem R$ 4,8 milhões dos R$ 186 milhões obtidos em maio de 98 com a venda de 45% de ações ordinárias da Sercomtel S.A. para a Companhia Paranaense de Energia (Copel). Gravena apresentou um relatório sobre a forma como teria sido aplicado o dinheiro que é administrado pelo Conselho de
Gestão Fiscal (Cogefi), formado pelo prefeito Antonio Belinati (PFL), o secretário de fazenda, o procurador-geral do município e o presidente da Sercomtel.
De acordo com o documento apresentado por Gravena, a prefeitura obteve uma receita líquida de R$ 111,6 milhões com a venda das ações porque a Copel precisou quitar R$ 74,9 milhões em dívidas contraídas anteriormente pelo município. As aplicações financeiras no período somaram 18,1 milhões.
A forma da aplicação do dinheiro teria sido definida durante a segunda reunião do Cogefi, em data que o secretário não soube informar.
Gravena disse que foram gastos R$ 123, 7 milhões (ver quadro abaixo). Mas ele não detalhou as despesas porque, segundo afirmou, a Secretaria de Fazenda só administra os recursos, mas até terça-feira deverá mandar à Câmara a relação de todos os pagamentos realizados. ‘‘Isso são detalhes técnicos que não temos autorização para divulgar porque envolve nome de fornecedores. Se a Câmara quiser ela poderá divulgar essas informações’’, afirmou. Gravena disse ainda que a prefeitura resolveu divulgar o relatório em razão das divergências na divulgação dos números pela imprensa.
Sobre as declarações do ex-secretário de Fazenda, Ismael Mologni, de que parte do dinheiro foi usado para cobrir déficits da prefeitura, Gravena justificou que o dinheiro não poderia ficar parado e deveria ser transformado em obras para a Londrina. Com o orçamento (receita e despesa) já definido, os recursos liberados pelo Cogefi acabavam aparecendo como déficit no orçamento. ‘‘Quando nós levantamos o balanço de 1999 apareceu um déficit de R$ 52 milhões. Mas só se liberou as despesas porque tínhamos o dinheiro do Cogefi’’, exemplificou.