Repórter oficializa queixa por racismo Dorico da SilvaO advogado Jorge Custódio e a repórter Vita Guimarães, no Fórum: representação por racismo Da Redação O advogado do Centro de Direitos Humanos (CDH) de Londrina, Jorge Custódio Ferreira, entrou ontem com uma representação contra o secretário de governo da Prefeitura de Londrina Sidnei de Oliveira, acusado de racismo. O secretário municipal teria ofendido a jornalista Vita Guimarães, da Rádio Paiquerê, de Londrina, de ‘‘negra suja’’ quando a repórter trabalhava no lado externo da Câmara de Vereadores, na sessão da última terça-feira. Várias pessoas teriam testemunhado a cena. Sidnei de Oliveira negou a acusação e afirmou que houve apenas uma simples discussão com a repórter. ‘‘Eu a questionei sobre a imparcialidade da imprensa. Isso foi a única coisa que eu falei’’, explicou o secretário. O advogado do CDH pretende levar o caso ao Ministério da Justiça em Brasília. ‘‘Na próxima semana estarei no encontro nacional dos CDH do País em Brasília e irei protocolar o caso. É inaceitável que uma autoridade pública, que deveria ser exemplo no combate ao racismo, faça uma ofensa deste tipo’’, disse Ferreira. A prática de racismo é considerado crime pela Lei Federal 7.716, de janeiro de 1989, podendo levar à cadeia.