Da Redação
Dos quatro ex-funcionários da Autarquia Municipal do Ambiente (AMA) citados na ação civil pública, o deputado federal José Janene (PPB) admite apenas um como parte de seu grupo político. ‘‘O Mauro Maggi (ex-presidente) é indicação minha’’, afirmou ontem.
Mesmo o deputado não admitindo, o ex-diretor-administrativo-financeiro da Companhia Municipal de Urbanização (Comurb), Eduardo Alonso, o principal envolvido no escândalo, é tido como o braço-direito de Janene. Alonso foi, até semana passada, presidente do diretório local do PPB, e teria se afastado apenas num ‘jogo de cena’, segundo os adversários.
Apesar dessas ligações, Janene não acredita que o objetivo da ação é atingi-lo. ‘‘Com a ação civil, o prefeito (Antonio Belinati – PFL) admite, tardiamente, que existem irregularidades’’, observou. ‘‘Mas ele quer enganar quem com isso?’’, questionou, referindo-se à lista dos citados na ação.
Na opinião do deputado, ex-secretários municipais e até o ex-presidente da Comurb, Kakunen Kyosen, também deveriam ser citados. ‘‘Ou será que o prefeito está tentando proteger algumas pessoas?’’
Belinati disse, através de sua assessoria de imprensa, que não comenta as declarações de Janene.