Realidade camuflada
Ele diz que está trabalhando, mas não dá detalhes. Ela informa que começa a encarar um serviço amanhã (sexta-feira), com uma remuneração de apenas R$ 40,00. Como fazem praticamente todos os dias, ocupam um banco da praça perto do Terminal Urbano de Londrina em companhia de outros três adolescentes que têm as ruas da cidade como moradia.
São 19h30 e os últimos dias do horário de verão ainda enchem de sol a praça que um dia foi praça. Agora, o tanque onde antigamente nadavam carpas, inclusive coloridas, é um abandono. Uma das laterais abriga barracas de artesanato. Era uma praça movimentada. Hoje, quando o sol começa a se recolher, suas calçadas deixam de ser usadas até por trabalhadores que durante o dia transitariam por ali.
Só o grupo de cinco adolescentes ocupa um dos bancos da praça. Distante, no outro extremo, três mulheres conversam também sentadas num banco. Os adolescentes fazem um lanche de conteúdo nada convencional: uma garrafa de pinga, um saco plástico com líquido da cor da cerveja e alguém, sem muito discrição, com a tradicional embalagem plástica de leite contendo cola de sapateiro.
Dos cinco, uma é mulher e demonstra vontade de conversar sobre um tema proposto ao grupo: a violência doméstica. Alguém daqueles cinco teria saído de casa porque sofreu algum tipo de violência no ambiente familiar?
‘‘É a nossa vida. Nós saímos de casa porque maltratavam a gente.’’ O comentário é dela, mas ele corta: ‘‘Agora que nós temos uma casinha pra morar vem aqui conversar com a gente? Antes, quando a gente morava na rua, ninguém veio conversar’’.
Os parceiros dizem que têm dois filhos, um retirado deles pela Justiça. Outro, revelam, está na casinha que eles teriam conseguido num bairro que eles não informam qual é. Esperando pelos pais, que ‘‘lancham’’ na praça que tem pouco aspecto de praça e não cumpre a finalidade de uma praça.
Ele aparenta ter ultrapassado a casa dos 18 anos e, aos pouco, quebra a frieza do diálogo. Até confirma a versão da mulher: escolheu a rua porque foi maltratado em casa. (W.O.)