Telma Elorza
De Londrina
O Grupo de Diligências Especiais (GDE) da Polícia Civil de Londrina prendeu, na noite de sábado, Rone Roque Ferreira, 18 anos, assassino confesso do mototaxista Everson Cambui de Mello, de 20 anos. O corpo do mototaxista foi encontrado na última sexta-feira, às margens do Ribeirão Cambezinho, no Jardim Novo Bandeirantes, nos limites do município de Cambé com Londrina. Ferreira está preso na Delegacia de Cambé – local do crime – e confessou, ontem pela manhã, a autoria ao delegado Antônio do Carmo.
Segundo o delegado, Ferreira completou 18 anos no dia 9 de janeiro e tem várias passagens pela polícia por furtos e uso de drogas. De acordo com Antônio do Carmo, o acusado foi ouvido na presença de um advogado nomeado e confessou ter premeditado o assalto e a morte do taxista. ‘‘Segundo Rone, ele estava com um cartão do mototaxista e, na terça-feira, por volta das 21 horas, ligou para o rapaz pedindo uma corrida. Rone, que estava na Rua Raposo Tavares, no Novo Bandeirantes, montou na moto e logo em seguida deu um tiro na nuca de Everson’’, disse o delegado.
Depois de matar Everson, Rone Ferreira teria arrastado o corpo até um barranco próximo e chamado dois amigos – cujos nomes estão sendo mantidos em sigilo – para ajudar a ocultar o cadáver. ‘‘Juntos, os três arrastaram o corpo até o riacho, onde foi despido. Rone tinha a intenção de ficar com as roupas do rapaz, mas desistiu porque estavam sujas de sangue’’, contou Antônio do Carmo.
De acordo com o delegado, depois de ocultar o corpo, Rone teria sido visto passeando com a moto Titan azul 98, placa AID-5028, de propriedade do pai do mototaxista. ‘‘Ele disse que pegou R$ 20,00 que estavam com a vítima e que vendeu a moto no Conjunto Cambé 4, por R$ 200,00. Também teria vendido os dois capacetes. A arma usada no crime foi emprestada de um amigo, para o qual pagou R$ 60,00 pelo uso. Sobre o celular da vítima, ele não disse nada’’, explicou o delegado.
Segundo ele, os policiais chegaram até o acusado depois de investigar a venda do capacete. ‘‘Além disto, ele teria sido visto por testemunhas quando saiu com o mototaxista e depois passeando com a moto’’, afirmou.
A informação inicial que estava circulando era de que Rone Ferreira teria sido contratado por dois outros rapazes para matar Everson, por causa de uma briga antiga. Mas, segundo o delegado, a hipótese foi afastada no depoimento de ontem. ‘‘Rone queria mesmo era assaltar o mototaxista. Ele tinha premeditado o assalto. E poderia ter sido qualquer outro mototaxista. Coincidiu de ser o Everson. Foi latrocínio’’, garantiu. O delegado já pediu prisão preventiva do acusado. Everson de Mello desapareceu na noite de 1º de fevereiro. A última vez que foi visto foi quando saiu para realizar uma corrida no Jardim Bandeirantes.