Não é de hoje que a barriga ''avantajada'' incomoda esteticamente homens e mulheres. Para aqueles que não se preocupam com a silhueta fora do chamado ''padrão de beleza'', vale o alerta de quem trabalha com a saúde. ''O excesso de gordura abdominal pode gerar a chamada Síndrome Metabólica, que sobrecarrega o coração e pode levar ao infarto'', afirma o médico cardiologista Ricardo Rodrigues, de Londrina.
Conforme ele, a pessoa que é gorda por completo geralmente é mais saudável do que aquela que apresenta acúmulo de gordura apenas na barriga. ''Pessoas com este tipo físico têm aumentadas as chances de problemas cardíacos, diabetes e pressão alta'', relatou.
Para os homens, o limite da circunferência abdominal deve ser de 90 centímetros e para as mulheres a medida não pode ultrapassar os 80 centímetros. ''Aqueles que possuem valores acima destes devem ficar em alerta'', destacou. Ele explicou que uma forma aproximada de medir a circunferência abdominal é colocando a fita métrica sobre o umbigo, passando pelas costas. A medida deve ser feita na hora da expiração.
O médico disse que, além da circunferência abdominal elevada, contribuem para a ocorrência da Síndrome Metabólica sintomas como glicemia igual ou maior que 100, colesterol elevado, pressão acima de 130 por 85 e outros. ''A Síndrome Metabólica é um processo que envolve a sobrecarga do pâncreas, o aumento da produção de insulina, da pressão arterial e do depósito de gorduras nas artérias e resulta em maior esforço do coração, que pode levar a um infarto''. explicou.
De acordo com Rodrigues, as pessoas que ingerem gorduras e carboidratos em excesso possuem mais chances de apresentar este quadro. O cardiologista destacou que esta é uma situação que pode acontecer com qualquer pessoa, independente da idade. ''Também pode ser diagnosticado em crianças se elas apresentarem os sintomas relacionados'', afirmou.
O cardiologista acrescentou que a reversão do processo depende exclusivamente de uma dupla já conhecida pela maioria das pessoas: a alimentação adequada aliada à prática de atividades físicas. ''É preciso destacar que mesmo cerca de um ano após a mudança de hábitos, nem todas as pessoas vão perceber a redução de peso. Mas certamente será notada a mudança na silhueta e a redução da gordura abdominal, o que reflete diretamente em uma vida mais saudável'', garantiu.
Ele recomendou que seja praticada uma atividade física aeróbica por pelo menos 30 minutos diariamente para que o resultado seja eficaz. ''A prática de esportes é um dos principais aliados à saúde do coração'', completou.
O número de pessoas que morrem de infarto por conta da obesidade associada à hipertensão, diabetes e Síndrome Metabólica tem aumentado ano a ano. ''Mesmo com tantos medicamentos modernos e tanta tecnologia em torno desta área, não conseguimos frear estes números se as pessoas não adotarem uma prática de vida diferenciada'', disse.

Imagem ilustrativa da imagem Quando o perigo está na barriga