Betânia Rodrigues
De Londrina
Especial para a Folha
A AMA (Autarquia Municipal do Ambiente) e as escolas particulares, estaduais e municipais de Londrina realizarão este ano um projeto de preservação dos fundos de vale com crianças e adolescentes.
O diretor-presidente da AMA, Rubens Canizares, disse que a intenção é transformar a população em fiscal da natureza. ‘‘É mais fácil e mais eficiente educar uma criança do que multar um adulto.’’
A área urbana de Londrina é cortada por 94 córregos e sete ribeirões principais onde funcionam aproximadamente 50 estabelecimentos de ensino, segundo Canizares. Os estudantes dessas escolas serão o alvo principal da campanha que vai incluir palestras técnicas, plantio de árvores e visita ao Parque Artur Thomas (zona sul), que é sede da AMA e área de preservação ambiental.
‘‘As crianças são os principais usuários dos fundos de vale e como tal poderão ser nossos maiores aliados. Elas nos ajudarão no combate à poluição doméstica, que é um dos maiores problemas dessas áreas’’, disse o diretor-presidente da AMA.
O projeto ainda não tem um nome e deverá ser concluído no final desta semana. Seu lançamento será feito no início do ano letivo, em fevereiro, e poderá contar também com o apoio das associações de moradores. Como subsídio à campanha, as escolas deverão repassar aos estudantes mais informações sobre o assunto através da disciplina Educação Ambiental.
Além de preservar, a AMA quer transformar os fundos de vale em áreas de lazer para a população, a exemplo do que existe às margens do Lago Igapó. Para isso, ela elaborou um projeto de revitalização orçado em R$ 500 mil, entregue ao Ministério do Meio Ambiente. De acordo com Canizares, ele contempla as proximidades do Vale do Quati, ribeirões Lindóia, Cafezal, Cambezinho, entre outros.
Segundo Canizares, a liberação dessa verba depende de negociações políticas. É com esta finalidade que no próximo dia 10 ele se reunirá em Brasília com o ministro do Meio Ambiente, José Carlos Sarney. ‘‘Vou reforçar nosso pedido e levar a ele outras reivindicações, como coleta seletiva e manejo do Parque Artur Thomas.’’
A ida ao Distrito Federal também vai servir para Canizares convidar o ministro a visitar Londrina em março, durante o encontro estadual do Meio Ambiente.