Nos últimos dois meses e meio os funcionários da Superintendência do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) do Paraná conseguiram despachar 50% dos 14.326 pedidos de benefício. A meta é agilizar ainda mais o trabalho de modo a fechar o ano de 2000 com 15.384 pedidos de benefícios analisados desde agosto. Esses resultados só vêm sendo possíveis graças ao ‘‘Plano de Ação Eixo-Sul - Projeto Araucária’’, programa lançado em julho com o objetivo de agilizar e modernizar o atendimento aos segurados.
Ontem, suprintendentes do INSS e os 19 gerentes executivos dos três estados reuniram-se em Curitiba para avaliar os resultados do programa no período.
‘‘Nosso objetivo é ver os problemas, traçar metas em conjunto com Brasília e descentralizar os processos’’, explicou o diretor-presidente do INSS, Crésio de Matos Rolim.
Entre as medidas implantadas estão a transformação das agências de atendimento, com a modernização dos equipamentos, treinamento de pessoal e unificação dos serviços como arrecadação e concessão de benefícios nos mesmos locais. Processos que antes levavam até 42 dias, já estão sendo liberados em média em sete dias.
No Sul, 23 agências já foram transformadas. No Paraná de um total de 40 agências existentes, sete sofreram mudanças (três em Curitiba, uma em Londrina, uma em Cascavel, uma em Maringá e uma em Francisco Beltrão).
Outra área bastante beneficiada pelo programa foi o setor de análise de recursos por processos negados pelo INSS. No Paraná, nesses dois meses e meio foram analisados 4.662 recursos de pessoas que ingressaram com processo contestando a resposta do INSS a seus pedidos de benefícios.