Um princípio de rebelião no presídio da 14ª Subdivisão Policial (SDP) de Guarapuava mobilizou ontem à tarde todos os policiais civis e vários policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE). Além dos policiais, o promotor de Justiça Sérgio Althauss, a juíza corregedora dos presídios, Christine Kampmann Bittencourt, e o delegado chefe da 14ª SDP, José Carlos Cruz, negociaram com os amotinados, que pediam a revisão das penas, reclamaram da péssima qualidade da comida e maus tratos. A rebelião teve início às 14h30, na ala B do presídio. Os presos amontoaram colchões e ameaçaram atear fogo. Algumas paredes que dividiam as celas chegaram a ser quebradas pelos amotinados. Às 17h20, a PM conseguiu conter o motim. Os presos foram revistados e cinco deles serão transferidos. O prisídio, com capacidade para 140 presos, está com 150.