Cornélio Procópio Os presos da cadeia de Cornélio Procópio se negaram a tomar banho de sol, ontem à tarde, em sinal de protesto. Segundo o delegado-adjunto da 11Subdivisão Policial (SDP), Agenor do Nascimento, eles querem a remoção dos condenados e agilidade nos processos. ''Eles amarraram a porta que dá acesso às celas com pedaços de cobertas e só acalmaram com a presença da juíza corregedora'', explicou.
A justificativa dada pelo delegado é de que enquanto os presos recorrerem das condenações continuarão sendo considerados presos provisórios e, portanto, ficarão na cadeia. A capacidade do prédio é de 30 vagas, mas está ocupada por 70 homens, dos quais metade já tem condenação. Embora a cadeia tenha 60 anos, Nascimento acredita que ela ainda é segura.