CONTER PANDEMIA -

Prefeituras de Ibiporã e Cambé definem novas medidas restritivas

Regras começaram a valer na quinta-feira e envolvem eventos, esportes coletivos e funcionamento de estabelecimentos

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

 

Ibiporã tem 303 casos ativos da doença
Ibiporã tem 303 casos ativos da doença | Divulgação
 


As prefeituras de Ibiporã e Cambé, na Região Metropolitana de Londrina, publicaram decretos com mais restrições na tentativa de conter a disseminação da Covid-19, que voltou a acelerar no Paraná após uma ligeira queda. As medidas passaram a valer na quinta-feira (26). Em Ibiporã, a prefeitura estipulou em, no máximo, 50 pessoas o número de presentes em estabelecimentos do ramo de buffets, festas e casas de eventos. Confraternizações, cursos e reuniões estão liberadas de segunda a sábado. 


A prática de esportes, como futebol, pode acontecer, desde que não haja campeonatos e partidas oficiais. Restaurantes, lanchonetes, sorveterias e distribuidoras de bebidas podem funcionar somente na modalidade de delivery, de segunda a sábado, após às 20h e até 23h. No domingo está autorizada a retirada no local até as 20h, sem receber clientes. Está consentida a abertura de supermercados, padarias e açougues aos domingos das 5h às 18h. 


A multa para quem descumprir as regras varia de R$ 300 a R$ 1.500. Para as pessoas jurídicas o cálculo será pelo metro quadrado utilizado pelo infrator, com a sanção podendo chegar a R$ 100 mil. As medidas vão até 14 de junho. Ibiporã tem 5.629 positivações para a Covid-19, em que 128 pessoas perderam a vida. Já se recuperaram 5.198 moradores. 


"Estamos acompanhando e monitorando os dados da Covid diariamente para que possamos fazer interferências pontuais e necessárias, preservando a atividade econômica, mas também assegurando a saúde da população", afirmou o prefeito de Ibiporã, José Maria Ferreira  (PSD).  "Não descartamos a possibilidade de mais restrições porque entendemos que o momento é gravíssimo", acrescentou. 



CAMBÉ

Em Cambé, o foco da determinação é em eventos e práticas esportivas coletivas. Estão proibidas aglomerações com mais de 25 pessoas em ambientes públicos e privados, inclusive em imóveis residenciais, para a realização de festas e comemorações. Também está vedada a prática coletiva de atividades esportivas em espaços públicos e privados, com exceção de locais em que a exploração econômica integre de forma exclusiva a renda familiar. O decreto vai até 11 de junho. “Estamos tomando estas medidas, por enquanto, e vamos analisando os números. Se precisar, ampliaremos as restrições, se houver uma redução nos números, podemos flexibilizar”, alertou o prefeito Conrado Scheler (DEM).  


 

Cambé tem pouco mais de 107 mil habitantes e está com mais de nove mil casos confirmados da doença, desde o início da pandemia
Cambé tem pouco mais de 107 mil habitantes e está com mais de nove mil casos confirmados da doença, desde o início da pandemia | Gustavo Carneiro - Grupo Folha 18-06-2020
 


Cambé tem pouco mais de 107 mil habitantes e está com mais de nove mil casos confirmados da doença, desde o início da pandemia, com 8.422 recuperados e 231 mortes. No último boletim divulgado pela prefeitura, no início desta semana, 21 moradores estavam internados, sendo dez em UTI (Unidade de Terapia Intensiva). 


DECRETO ESTADUAL

Já o decreto anunciado pelo Governo do Estado começa a valer às 5h desta sexta-feira (28). Entre as determinações está a restrição da circulação de pessoas e de venda e consumo de bebida alcoólica em espaços de uso público ou coletivo depois das 20 horas. O toque de recolher e a lei seca atual vigoram das 22h até as 5h do dia seguinte. Comércio e atividades não essenciais seguem proibidas de funcionar aos domingos.


Diferentemente das cidades do entorno, em Londrina a prefeitura não sinalizou adotar novas medidas contra o coronavírus. Segundo o prefeito Marcelo Belinati, o segundo maior município paranaense deverá seguir as indicações do governo estadual. "Continua como está. Existe entendimento jurídico que entes federativos não podem flexibilizar decretos de outros entes. O decreto que vale é o mais restritivo. No caso do decreto estadual, existe artigo que estabelece que municípios não podem flexibilizar”, apontou.


Atualizada às 13h30


Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo