Prefeitura é acusada de beneficiar uma farmácia Sid Sauer De Campo Mourão A Prefeitura de Campo Mourão foi acusada terça-feira à noite, durante reunião do Conselho Municipal de Saúde, de estar beneficiando apenas uma farmácia da cidade com a compra de medicamentos. A denúncia foi feita pelo sindicalista Mário Lima, que é membro do conselho. Ele disse que a prefeitura vinha centralizando as compras na farmácia Angelfarma, que pertence à mulher do secretário municipal de Infra-Estrutura, Ademir Moro Ribas. ‘‘O valor pode não ser alto nem a atitude ilegal, mas trata-se de uma questão de moralidade pública’’, disse o sindicalista. Lima afirmou que as compras deveriam ser feitas através de licitação. ‘‘Campo Mourão tem quase 40 farmácias’’, ressaltou. O conselho aprovou a formação de uma comissão para verificar a denúncia. No mês passado, o órgão já havia enviado ofício à Secretaria Municipal de Saúde questionando como eram feitas as compras. A secretária Rosemeire do Carmo Martelo disse ontem que a prefeitura compra os medicamentos que precisa direto dos laboratórios e que somente os casos emergenciais são adquiridos em farmácias da cidade. Ela negou que um único estabelecimento estivesse fornecendo os remédios para a secretaria. ‘‘Temos as notas e os empenhos para provar que vários estabelecimentos venderam medicamentos para a prefeitura’’. Segundo Rosemeire, algumas farmácias não vendem remédios para a prefeitura porque o pagamento não é à vista. A prefeitura gasta, mensalmente, cerca de R$ 2 mil em farmácias.