Gerson da Luz Souza
De Cascavel
Especial para a Folha
A Polícia de Cascavel impediu a entrada de maconha e cachaça no minipresídio da 15ª Subdivisão Policial em vistoria de rotina feita em objetos e alimentos levados por familiares aos detentos durante as visitas. A estratégia utilizada foi praticamente a mesma nos dois casos. As ‘‘encomendas’’ foram deixadas por mototaxistas.
‘‘Tentativas desse gênero são comuns, mas nossa vistoria é criteriosa’’, afirmou ontem o delegado-chefe da 15ª SDP, Aroldo Davison. A maconha, cerca de 70 gramas, estava dentro de um pão francês, em um saco de papel contendo outros dois pães. ‘‘Não havia corte no pão, o que significa que foi assado já com a maconha dentro’’, presume o delegado. Apesar do artifício, o peso diferenciado do pão motivou a suspeita dos policiais.
A cachaça estava dentro de três garrafas de vinagre. A bebida foi misturada com groselha para resultar em cor assemelhada ao vinagre tinto. A polícia está trabalhando na identificação dos mototaxistas que entregaram as encomendas. Os presos também poderão ser responsabilizados. O delegado Aroldo Davison informou que dentro do presídio não há nenhum tratamento aos detentos dependentes de drogas. ‘‘Se a dependência é extrema, encaminhamos pedido à Justiça para que o preso seja transferido para outro local mais adequado.’’