Equipamentos de informática avaliados em R$ 110 mil foram comprados no Paraguai; empresário é preso por pirataria em Foz
Fotos Ney de SouzaILEGALCarga de contrabando flagrada pelos policiais era levada para São Paulo num ônibus de turismoDiscos piratas estavam no apartamento de um empresário de Foz

Emerson Dias
De Foz do Iguaçu
Especial para Folha

Polícias Civil e Federal apreenderam mais de R$ 110 mil em equipamentos de informática na região Oeste do Estado, entre monitores, impressoras, gravadores de discos lasers e cds falsificados.
Na BR-369, próximo a Ubiratã (96 quilômetros ao sul de Campo Mourão), policiais federais fizeram uma vistoria em um ônibus de turismo que ía para São Paulo (placas BWA-6407) e encontraram cerca de 80 caixas com equipamentos eletroeletrônicos. Todo o material foi apreendido no domingo e enviado ontem ao Núcleo de Operações em Foz do Iguaçu, que identificou Genivaldo dos Santos, 28 anos, como proprietário da mercadoria. Nas caixas foram encontrados monitores, impressoras e computadores, todos contrabandeados de Ciudad del Este (Paraguai).
Através de uma denúncia anônima recebida pelo disque-denúncias, agentes da Polícia Civil de Foz do Iguaçu apreenderam computadores preparados para copiar cds e mais de 120 discos piratas em um apartamento no centro da cidade.
O dono do equipamento, que não teve o nome divulgado pelos investigadores, também é proprietário de uma locadora de cds e fitas de vídeo, que funciona em uma das principais avenidas da cidade. Funcionários da loja confirmaram que não existe nenhuma cópia no acervo destinado ao público. ‘‘Todo o equipamento é caseiro e de propriedade particular. Não tem nada a ver com a empresa’’, disse uma funcionária.
Os discos e os computadores estão avaliados em mais de US$ 5 mil. O suspeito foi liberado, mas deve responder processo por falsificação.
Este é o segundo caso de pirataria registrado em apenas cinco dias na cidade. Na última quinta-feira, uma gráfica que falsificava 5 mil encartes de cds por dia, foi fechada pela polícia, que também havia recebido um telefonema pelo disque-denúncias – (045) 522 1039. O denunciante explicou detalhadamente a localização da empresa.