O Comando do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Londrina afastou ontem os dois policiais acusados de truculência e tentativa de extorsão durante abordagem na noite de segunda-feira, em uma avenida da região norte. Os PMs estão proibidos de desempenhar funções que necessitem de contato com o público. A sindicância aberta pela PM deve ser concluída em 23 dias.
Os soldados Gonçalves e Molin estão sendo acusados pelo cinegrafista Marcelo Rodrigues Vieira, 25 anos, de agressão, abuso de autoridade, constrangimento e forjar flagrante de drogas. Na segunda-feira, Vieria saía de uma sorveteria acompanhado da prima de sua namorada, a menor C., de 11 anos, quando foi abordado pelos policiais, que também o acusaram de ter mantido relações sexuais com a criança. Para não prender o cinegrafista, os policiais teriam exigido R$ 100,00, dinheiro que não tinha no momento. Os policias mandaram então, que ele deixasse a quantia num posto de combustível nas proximidades do local da abordagem.
De acordo com o subcomandante do 5º BPM, major Manoel da Cruz Neto, se a denúncia contra os PMs for comprovada, os soldados poderão ser responsabilizados por crime comum ou militar. ‘‘Isso pode até dar expulsão da Polícia Militar. Porém, o afastamento não significa que estamos prejulgando os policiais. Vamos apurar os fatos e depois tomaremos a providências’’, adiantou o major.