Ortografia incorreta:
O verbo falará virou fala-rá
Ouça do verbo ouvir virou oussa
Acho do verbo achar ficou aixo
Decente virou descente
Os verbos ouvir e existir ficaram houvir e hexistir
A palavra haver ficou aver
Redundância verbal:
‘‘Atualmente para conseguirmos entrarmos no trabalho temos que estudarmos muito e deixarmos de lado muitos prazeres.’’
Para escrever bonito:
A palavra mútuo virou mutualístico
A falta de vocabulário transformou tapete em topete:
‘‘Às vezes, os amigos puxam o topete dos outros.’’
Filosofia de vestibulando:
‘‘Não precisamos ir longe para conviver com cujo problema.’’
‘‘Se os pais nasceram e estão imbuídos na sociedade de nível alto, terá mais facilidades de ter amigo.’’
‘‘A amizade, na maioria das vezes, é um conjunto de atividades realizadas por duas ou mais pessoas, podendo ser real ou fictícia.’’
‘‘O ser humano é uma faca de dois gumes. O primeiro é o amor, que é uma pilastra central da sociedade.’’
‘‘Em certos casos, o falso é aquele amigo que está doido para passar a mão no seu dinheiro’’.
‘‘Tem certas situações que nem a mãe perdoamos, se ela deve é obrigada à pagar. Apenas não cobramos os juros, afinal é a mãe’’.
‘‘O cheque especial meu nobre amigo para a vida.’’
‘‘Amigo hoje em dia é coisa arriscada de se ter, principalmente se esse amigo for aquele do trabalho.’’