O Tribunal de Júri de Londrina absolveu ontem o pedreiro José Teodoro da Silva, 64 anos, que em abril matou a companheira Aparecida Cabeçoni de Oliveira, na época com 51 anos. Os jurados acataram, por 5 votos a favor e 2 contra, a tese de homicídio privilegiado apresentada pela defesa do pedreiro. O crime aconteceu no dia 22 de abril, no Jardim Leonor. Silva assassinou a mulher com quatro golpes de faca. Ao ser preso, no dia do crime, o pedreiro alegou que matou a mulher porque era traído. Segundo o advogado Luis Fernando Begnini, a tese de homicídio privilegiado foi defendida porque o réu cometeu o crime sob violenta emoção.