Paranaenses vão
em busca do
know-how italiano
Mário CésarEXPERIÊNCIAA vice-coordenadora do curso de Estilismo em Moda da UEL, Cleusa Ribas Fornasier, irá com grupo paranaense a MilãoA professora Cleusa Ribas Fornasier, vice-coordenadora do curso de Estilismo em Moda da UEL, vai acompanhar um grupo de paranaenses numa viagem a Milão, na Itália, na próxima sexta-feira. O grupo vai participar do 1º Projeto Milano organizado pelos sindicatos das indústrias do vestuário, têxtil e couro do Paraná em conjunto com o Sebrae/PR, Fiep, Senai, Citpar, e Universidade Estadual de Londrina (UEL).
A empresária londrinense Conceição Gorini, dona da Chamaha Confecções, também embarca para Milão. Conceição, que há dez anos produz roupas sociais na cidade, pretende aumentar seus conhecimentos durante visitas às oficinas e ateliês de alta-costura italianos.
‘‘Os empresários precisam estar constantemente buscando novos conhecimentos’’, recomenda ela, que acredita que a criação de um pólo de moda na região serviria como marketing para Londrina: ‘‘Ficaríamos conhecidos em todo o Brasil’’.
Na viagem à Itália, profissionais criadores de moda, designers, estilistas, modelistas e empresários do setor vão vivenciar o processo de pesquisa de moda, através de cursos, palestras e visitas a fábricas e ateliês.
A gerente de criação Luciana Romagnoli, da Confecções Lúcia Romagnoli Moda Feminina, também está de malas prontas para ir à Itália. Ela reclama da falta de incentivo por parte do poder público para a realização de feiras e desfiles locais. ‘‘Londrina não conta com espaço adequado para eventos deste tipo’’.
Com curso de especialização de moda pela UEL, Luciana tem esperança, porém, que no futuro o Paraná desenvolva uma moda própria equivalente à que existe em Minas Gerais. ‘‘Com esforço, podemos nos tornar uma referência como a moda que é produzida em Belo Horizonte, que é artesanal e bastante feminina. Só precisamos criar uma identidade própria’’, diz.
A estilista quer trazer novidades da Itália. ‘‘Pretendo pesquisar tendências. Estou investindo em minha formação para trabalhar melhor as criações’’.
Para a presidente do Sindicato da Fiação, de Curitiba, Adelir Carbonar, que também participa do Projeto Milano, as empresas do Paraná passaram 1999 investindo na melhoria da qualidade e preocupadas com a necessidade da atualização constante da moda. ‘‘A participação na viagem vai abrir caminhos para o crescimento das empresas do setor’’, afirma.