Ritual começa com as orações de agradecimento e depois para pedir que o novo ano seja ainda melhor
Ritual começa com as orações de agradecimento e depois para pedir que o novo ano seja ainda melhor | Foto: Ricardo Chicarelli



Para os praticantes do Budismo Primordial, a virada do ano é o momento ideal para agradecer pelo ano que passou e pedir que o novo ano seja ainda melhor. Por isso, no templo Hompoji, em Londrina, muitos fieis passarão o réveillon fazendo orações. A prática faz parte da vida da atendente de call center Karen Sayuri Campos desde a infância. "Para mim, o diferente é passar o Ano Novo em outro lugar", conta.

O ritual budista começa às 23 horas do dia 31, quando são feitas as orações de agradecimento. Logo em seguida, à meia-noite, são feitas as orações pedindo que o novo ano seja ainda melhor. "É uma data muito importante, como se fosse o Natal dos cristãos", compara. Depois da cerimônia, os fiéis compartilham o sobá – macarrão com molho à base de shoyu que representa a longevidade – e o moti, um bolinho feito de arroz que representa resistência. "É uma data especial para me conectar espiritualmente. É um dia para renascer", avalia ela.

A repositora Jennyfer Agatha Pereira não tinha nenhuma prática espiritual até conhecer o budismo em 2014. "Uma amiga me convidou e senti uma energia diferente. As celebrações são em português, o que ajuda a entender a mensagem. Gostei tanto que me converti", conta. Desde 2014, também, ela passa o Ano Novo no templo. "É totalmente diferente de tudo que já fiz. Sinto que começo o ano protegida", diz.

Como os pais dela também se converteram ao budismo, eles passam o Ano Novo em família. "Hoje em dia é difícil ter fé. Quando me decidi a desenvolver isso, foi maravilhoso", avalia.

SERVIÇO:
A celebração de Ano Novo do templo budista Hompoji (rua Albânia, 146/32), a partir das 23h, é aberto à comunidade