A Delegacia da Receita Federal (RF) de Londrina divulgou ontem a apreensão de R$ 133 mil em mercadorias ilegais. O que chamou a atenção dos fiscais foi a diversidade de produtos contrabandeados, retidos em dois ônibus fretados por camelôs. Além de eletroeletrônicos, brinquedos e equipamentos de informática, foram apreendidos 150 caixas com cigarro paraguaio (7,5 mil pacotes), 480 quilos de alho, cerca de 50 pneus, 36 rolos de arame e 107 pacotes do herbicida Clorimethyl 25, insumo produzido na China.
''Autuamos 20 pessoas que estavam nos ônibus. Calculamos que foram apreendidos R$ 133 mil em produtos ilegais'', explicou o auditor fiscal Evandro Oliveira Calvo. Ele supervisionou a fiscalização dos veículos, ocorrida durante o final de semana em um posto da Polícia Rodoviária, na BR-369, próximo a Rolândia (25 km a oeste de Londrina). Os ônibus eram de Londrina e de Santo Antonio da Platina.
As embalagens dos produtos químicos apresentavam número de registro e texto em português, mas não foi encontrada qualquer nota fiscal que confirmasse a importação do carregamento. Amostras devem ser enviadas ao Ministério da Agricultura para verificar se o uso do agrotóxico é permitido no Brasil.
As caixas contendo herbicida e cigarros serão destruídas pela RF. O sacos de alho serão doados ainda esta semana a entidades filantrópicas da cidade. O mesmo acontecerá com os brinquedos e produtos eletrônicos, assim que forem autorizados pela Justiça.
A RF vai enviar ao Ministério Público Federal uma representação fiscal para fins penais relativos às autuações. Caberá aos procuradores decidir se caberá ou não processo aos envolvidos. ''Esta foi a segunda operação realizada este mês na região. Vamos continuar intensificando a fiscalização sobre os ônibus vindos do Paraguai'', afirmou Calvo.