Um acordo com o governo federal possibilitou a liberação da construção do viaduto entre as avenidas Guaiapó e José Alves Nendo em parte da área do extinto IBC, próximo ao Aeroporto Gastão Vidigal, em Maringá. A obra, iniciada há pouco mais de um mês, estava parada porque necessitava ocupar parte do terreno do instituto, que pretence à União. ‘‘Tudo está acertado e a obra voltou ao cronograma normal’’, informou o secretário de Transportes, Sidnei Telles. A previsão é que o viaduto fique pronto até o final de dezembro.
O elevado do viaduto passa sobre a linha férrea e vai desafogar o trânsito da Avenida Tuiuti, principal acesso à área central de Maringá e única via de ligação com bairros da zona leste e parte da zona norte da cidade.
Pelos cálculos da secretaria, 40% dos moradores de Maringá passam diariamente na Avenida Tuiuti. A ligação através do viaduto vai facilitar também o acesso dos ônibus intermunicipais até a nova rodoviária. Atualmente os ônibus também têm que enfrentar o trânsito da Tuiuti, considerada a via mais congestinada de Maringá.
Com 360 metros de extensão, o viaduto, orçado em R$ 1,5 milhão, vai permitir ainda o prolongamento das duas ruas paralelas à linha férrea, a D. Pedro I e Walter Kraiser. ‘‘Com isso, vamos conseguir aliviar o trânsito também da Rua Mitsuzo Taguchi’’, diz Telles. A rua é estreita e tem um trânsito pesado porque dá acesso a vários condomínios residenciais na saída para Sarandi. O secretário diz que a obra não corre risco de paralisação porque está com os recursos garantidos através do Fundo Estadual de Desenvolvimento Urbano.