RISCO CONSTANTE -

Número de mortes por dengue em Londrina chega a 13 neste ano

Boletim da secretaria municipal de Saúde aponta que já foram confirmados 7.696 casos da doença

Reportagem local
Reportagem local

Outras 13 mortes continuam sendo investigadas
Outras 13 mortes continuam sendo investigadas | Cadu Rolim/Foto Arena/Folhapress
 


O número de óbitos causados por dengue em Londrina subiu. Boletim divulgado nesta quinta-feira (2) pela secretaria municipal de Saúde indica que 13 pessoas perderam a vida em decorrência da doença somente neste ano. No informe da semana passada eram 11. Outras 13 mortes continuam sendo investigadas pelo comitê intermunicipal e quatro foram descartadas. 


Os casos confirmados na cidade chegaram a 7.696 nos primeiros três meses de 2020. São 19.755 notificações, com 4.078 descartadas e outras 9.880 ainda sendo apuradas, aguardando o resultado dos exames. De acordo com a secretaria, não houve registro positivo nas duas últimas semanas avaliadas. 




Mesmo com a diminuição, Sônia Fernandes, diretora de Vigilância em Saúde do município, afirmou que a circulação viral continua e nas diferentes regiões. “As pessoas precisam entender que a dengue é um perigo real hoje, tanto ou mais grave que o próprio coronavírus e não podemos descuidar. É fundamental manter a prevenção e eliminar os focos de água parada para que a circulação do mosquito reduza e os riscos sejam menores", advertiu. 


Fernandes também orientou que as pessoas que apresentarem sintomas de dengue não devem deixar de procurar os serviços de saúde. “Com a situação de isolamento provocada pelo coronavírus muitos com sintomas de dengue têm medo de sair de casa para procurar atendimento médico, mas isso não pode acontecer. Em muitos casos, o paciente já chega às unidades apresentando quadro avançado e isso compromete a eficácia do tratamento", apontou.  


Londrina segue com dois locais para atendimento exclusivo relacionados ao mosquito Aedes aegypti: a UBS (Unidade Básica de Saúde) da Vila Casoni, na região central, e o centro especializado, no prédio do CCI (Centro de Convivência da Pessoa Idosa), na zona norte. A unidade da Casoni vai funcionar das 7h às 19h, de segunda a sábado, a partir do dia sete de abril. 



Outras 13 mortes continuam sendo investigadas
Outras 13 mortes continuam sendo investigadas | Cadu Rolim/Foto Arena/Folhapress
 




Denúncia de imóveis ou áreas que contenham focos do Aedes aegypti podem ser feitas por meio do telefone 0800 400 1893, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias