Imagem ilustrativa da imagem Mulherismo africana é tema de debate em Londrina
| Foto: Divulgação
Imagem ilustrativa da imagem Mulherismo africana é tema de debate em Londrina
| Foto: Divulgação

O debate “Mulherismo Africana: Aquilombar-se é preciso” será realizado nesta sexa-feira, das 19h30 às 21h30, no formato live, e abrirá a programação do Mês da Consciência Negra em Londrina. A promoção é da Plenária de Mulheres Negras do Norte do Paraná e da Gestão Municipal de Promoção da Igualdade Racial e o evento será transmitido pelo Facebook (https://www.facebook.com/negras.nortepr).

A discussão, que será mediada pela psicóloga e integrante da Plenária, Rosane Teodoro, contará com a presença da professora, mestra e doutoranda em filosofia africana pela UFPRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Katiuscia Ribeiro; e da militante antirracista, socióloga e mestra em extensão rural, Sonia Ribeiro.

Em pauta, a emancipação da mulher negra através do resgate ancestral africano. A intenção é abordar a necessidade de se fazer uma leitura sobre as desigualdades e a desigualdade de gênero, a partir de narrativas filosóficas africanas. Através dessas narrativas, é possível obter uma compreensão maior sobre o impacto da colonização ocidental na vida do povo africano.

A gestora municipal de Igualdade Racial, Fátima Beraldo, frisou que o debate está alinhado a temas atuais. “A mulher negra é um ser político e está inserida nas questões atuais que permeiam a sociedade brasileira e global. Por isso, essa discussão é bastante relevante e enriquecedora”.

A iniciativa tem apoio dos conselhos municipais de Promoção da Igualdade Racial de Londrina e de Cambé e do salão de beleza afro, Wana Black Hair.

PLENÁRIA

Fundada em Londrina, em 2018, a Plenária de Mulheres Negras do Norte do Paraná é um grupo que visa a emancipação da mulher negra e periférica de Londrina e região, através de reuniões e mobilizações que levam o debate racial a todos os espaços. A iniciativa acolhe mulheres negras de diversos segmentos sociais e conta com uma diretoria- executiva formada por profissionais das mais diferentes áreas.

“Nós lutamos por políticas públicas e pela igualdade de direitos da mulher negra e de suas famílias, assim como militamos na luta antirracista ao lado dos demais movimentos negros”, explicou a educadora, conselheira tutelar e integrante da Plenária, Alexsandra Coudeiro.

ON-LINE

Em razão da pandemia causada pelo novo Coronavírus, a programação do Mês da Consciência Negra será realizada de forma completamente on-line em 2020. Além da live de sexta-feira (13), também haverá atividades nos dias 20 e 25 de novembro e no dia 5 de dezembro. (Com informações do N.Com)