Sid Sauer
De Campo Mourão
Dois auditores do Ministério Público do Paraná devem começar na semana que vem uma auditoria nas contas da Fundação Cultural de Campo Mourão (Fundacam), desde 1993 até o ano passado. O pedido de auditoria foi feito pelo promotor de Proteção e Defesa do Patrimônio Público da comarca de Campo Mourão, Mauro Sérgio Rocha, que investiga há um ano denúncias de desvios de verbas na entidade.
O ex-diretor-administrativo-financeiro da Fundacam, Marcos Rodrigues dos Santos, já admitiu, em depoimento, ter desviado R$ 143,730,00 entre 1995 e 1998. O promotor quer saber se esse desvio é maior e se existem mais pessoas envolvidas. Um auditor do MP analisou as prestações de contas da Fundacam. Ele disse que precisa da ajuda de mais um auditor e de um prazo de uma semana.
‘‘Estamos dependendo dessa auditoria para concluir o inquérito civil’’, explica Rocha. Ele abriu o inquérito em março do ano passado, depois de receber da própria prefeitura o resultado de uma auditoria interna apontando o desvio na Fundação Cultural.
Depois de concluir o inquérito, Rocha vai analisar se o caso requer ou não a abertura de ações judiciais. Uma ação civil pública por improbidade administrativa já é considerada certa. É que o ex-diretor da Fundacam admitiu que desviou os recursos da entidade.