Moradores do Jardim Santa Paula e do Jardim São Rafael, separados pelo trecho urbano da BR-369 em Ibiporã (14 km a leste de Londrina), estão ameaçando bloquear o tráfego se a Econorte – concessionária responsável pela Lote 1 do Anel de Integração – ou o Departamento Estadual de Estradas de Rodagem não cumprirem uma suposta promessa de instalar uma lombada eletrônica na via. ‘‘Estamos cansados de esperar’’, afirma José Luis da Silva, presidente da Associação de Moradores do Jardim Santa Paula.
No ponto crítico, uma baixada com trevo, já morreram quatro pessoas somente este ano, segundo a associação. Uma parada de ônibus em cada lado da pista agrava a situação – a travessia de pedestres é intensa. Os bairros são habitados por trabalhadores que diariamente se deslocam até Londrina. A última morte foi decorrente do atropelamento de um ciclista de 17 anos, que acabou motivando uma reunião na qual participaram moradores, representantes do DER e da Econorte. Silva garante que, na ocasião, entre outras medidas ficou acertada a instalação de um redutor de velocidade.
‘‘Prefiro negociar, mas estou tentando contato com a Econorte e não tenho obtido nenhuma resposta. Se continuar assim, o bloqueio vai mesmo acabar sendo organizado’’, explica o líder comunitário. Silva admite que a Econorte realizou algumas melhorias mas o maior problema – a velocidade dos veículos – não foi resolvido.
DER e Econorte não confirmam que tenham prometido a instalação do redutor de velocidade. A concessionária informou que o problema será resolvido definitivamente com o Contorno Sul da cidade, cujo término está previsto para 2002. De acordo com a assessoria da Econorte, as melhorias que foram feitas desde então – tachões centrais na pista para impedir ultrapassagens, sonorizadores, pintura da faixa de pedestres e reforço na sinalização – não estavam previstas no contrato com o governo do Estado mas foram realizadas para atender a necessidade dos moradores.
Sérgio Gonçalves Leite, superintendente regional do DER, afirmou que, na época, o órgão estava fazendo um levantamento para descobrir a viabilidade da instalação de redutores nos 62 quilômetros urbanos da BR-369 na região. Este estudo foi esquecido após os problemas operacionais que o sistema enfrentou em diversas cidades. ‘‘Mas estamos dispostos a solucionar caso a caso todos os pontos críticos da região’’.