Rubens Burigo Neto
De Curitiba
Chegam hoje a Curitiba técnicos da Assessoria de Planejamentos Estratégicos e do setor de arrecadação e fiscalização do Ministério da Previdência Social para começar a auditoria interna na superintendência estadual do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Eles vão investigar a participação do chefe do posto de arrecadação e fiscalização, Sandro Gomes Oliveira, que está preso desde sexta-feira, na emissão fraudulenta de Certidões Negativas de Débitos (CNDs).
O advogado José Loures Ribeiro (ex-funcionário do extinto Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social – Inamps) também foi preso em flagrante, no momento em que recebia R$ 15 mil como pagamento para liberar a CND para a procuradora de uma empresa num escritório em Curitiba. O nome dela e da empresa estão sendo mantidos em sigilo pelos promotores da Promotoria de Investigações Criminais (PIC). O promotor Paulo Kessler, que está investigando o caso desde quarta-feira da semana passada, informou que hoje deve receber os documentos apreendidos na casa de Loures para dar continuidade ao processo.
O promotor contou que na casa do advogado foram encontrados cadastros atualizados de devedores do INSS (documento de circulação interna), espelhos em branco de carteiras de identidade, propostas escritas pedindo 30% do valor total das dívidas para facilitar a emissão das CNDs e até algumas pedras preciosas (esmeraldas) dentro de envelopes com laudos técnicos em branco.
O promotor informou que caso sejam comprovados prejuízos à União parte do processo será encaminhado para a Justiça Federal. Loures foi autuado pelo crime de tráfico de influência e estelionato e Sandro Oliveira por falsidade ideológica. ‘‘Ele (Loures) montava processos fraudulentos para extinguir dívidas de empresas no INSS’’, adiantou Kessler.
Ontem à tarde o auditor regional do INSS de Porto Alegre, Manoel Paim, ficou reunido por mais de três horas com a superintendente interina do INSS no Estado, Laura Bianco da Costa, o promotor João Milton Salles, da PIC e com o delegado da Delegacia de Crimes contra a Administração Pública, Vinícius Martins. Na reunião, informou a assessora do INSS, Célia Brandt, Paim obteve informações preliminares sobre o caso. Célia disse que os técnicos que estão vindo de Brasília vão formar uma equipe com auditores locais para um ‘‘trabalho acelerado’’ na auditoria interna.