Merendeiras reclamam de atraso no pagamento de salários


Rafael Machado - Grupo Folha
Rafael Machado - Grupo Folha

O Conselho Municipal de Alimentação Escolar de Londrina enviou um ofício nesta segunda-feira (8) para a Prefeitura de Londrina comunicando o atraso no pagamento de salários de 152 merendeiras contratadas pela empresa Especialy Terceirização, uma das três responsáveis pelo fornecimento da merenda escolar na rede municipal de ensino. A instituição, com sede em São Paulo (SP), atende escolas das regiões oeste e sul da cidade. 

 

Merendeiras reclamam de atraso no pagamento de salários
Arquivo FOLHA
 





A cobrança foi feita pela presidente do conselho, Dóris Andrade da Cruz, que também dirige o Sinterc (Sindicato dos Trabalhadores em Empresa de Refeições Coletivas), representante da categoria. Em entrevista à FOLHA, ela informou que os vencimentos deveriam cair na conta das funcionárias na última sexta-feira. "Isso já aconteceu em outro mês. Queremos que a prefeitura tome medidas para resolver esse problema", comentou. 



Cada merendeira recebe R$ 1.173,16 por mês e trabalha 44 horas por semana. "Elas têm o vale-alimentação de R$ 182 e o ticket refeição de R$ 15 por dia. A empresa, ao invés de cumprir a convenção coletiva, paga parcelado. É uma verdadeira bagunça. Essas pessoas precisam pagar contas. Seria o caso de rompimento de contrato? A Especialy não deveria ser notificada?", perguntou Cruz. 



Uma fiscal do contrato enviou um e-mail aos representantes da Especialy citando o impasse. Ela relembrou que uma das cláusulas do acordo prevê a cópia de documentos de efetivo pagamento de benefícios aos funcionários, tais como vale-transporte, auxílio-alimentação, seguro de vida e outros que tenham sido apresentados pela empresa na planilha de formação de custos do processo licitatório. O pedido era para uma manifestação até o final da tarde desta segunda, o que não aconteceu. 




A reportagem tentou contato com a terceirizada, mas ninguém retornou o contato. O Núcleo de Comunicação da Prefeitura de Londrina disse que esta é a primeira vez que a administração recebe uma denúncia de atraso nos salários. Segundo o órgão, os vencimentos das merendeiras estão em dia. A licitação da merenda escolar tem investimento total de mais de R$ 12 milhões. O vínculo entre o poder público e as três empresas foi assinado em agosto de 2019. 


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo