Matrícula na PUC começa
com mensalidades mais caras
Com mensalidades que variam entre R$ 970,35 para os cursos de Medicina Veterinária e Odontologia a R$ R$ 250,27 para Filosofia, Letras, Pedagogia e Ciências Religiosas, começaram ontem as matrículas para os 17 mil veteranos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Junto com as matrículas, começam as preocupações de pais e estudantes, que estão enfrentando, este ano, um reajuste de 11,55% nos valores.
Muitos começaram o ano tentando renegociar dívidas passadas. Estatísticas da universidade mostram que entre 10% a 12% terminam o ano inadimplentes. ‘‘Cada caso é diferente. Tem aluno que negocia o pagamento dos atrasados em dez vezes, outros em três. Depende de quanto devem e quanto podem pagar’’, diz a coordenadora do Serviço de Assistência ao Estudante, Silvana de Morais, lembrando que após as negociações apenas 3% a 4% dos veteranos continuam sem pagar as mensalidades atrasadas.
Além de quitar as dívidas, os estudantes também procuram por bolsas de estudos. É o caso de Ivan Orso, de Cascavel, que está entrando no 2º ano de Medicina. Em 1999 ele já tentou uma bolsa através do Fundo de Financiamento ao Ensino Superior (Fies), mas não conseguiu por não ser considerado carente.
Angela Pissaia, aluna do 2º ano de Medicina também buscava informações sobre bolsas. ‘‘Medicina ficou muito caro, subiu R$ 100,00 e vai ficar difícil para meu pai pagar’’, diz. O pai, que trabalha como pintor autônomo, também tem que pagar o cursinho para outra filha.
As chances de se conseguir uma bolsa para este ano estão reduzidas ao Fies, nova denominação do antigo projeto de crédito educativo do Ministério da Educação. Em ambos os casos, assim como no sistema de bolsa rotativa concedida pela PUC, o aluno só pagará o crédito após a graduação. O prazo para solicitar as bolsas da PUC já acabou. Este ano, 1.781 estudantes receberão o benefício, outros 497 estão contemplados com o crédito educativo e 256 com o Fies. Segundo Silvana, ainda há uma segunda etapa do Fies, pois o governo abriu mais inscrições, embora não tenha repassado nenhuma orientação às universidades.
Segundo Silvana de Morais, além das bolsas, há ainda cerca de 100 estudantes com bolsa estímulo, que consiste em desconto para participarem de atividades da universidade, como o teatro, coral e orquestra sinfônica; 273 que fazem estágio na instituição; 78 que trabalham com monitoramento junto a professores; e 4.396 que fazem estágios remunerados obtidos pela universidade. Com isso, a PUC considera que entre 44% a 47% do corpo discente foi beneficiado de alguma maneira. Para os calouros, a PUC também não prevê bolsas rotativas, que já são concedidas após a garantia de notas altas. (M.G.)